Mulher é diagnosticada com câncer terminal durante a cesárea.

 

Lois Walker e Dale Wistow, com seu filho Ray.

Em um momento de felicidade, a britânica Lois Walker, de 37 anos, recebeu uma notícia devastadora. Ela foi diagnosticada com uma doença terminal durante o parto cesáreo do filho em 2021.


Walker disse à BBC News que teve dores de estômago por 12 meses, mas os médicos disseram que foram causadas por ansiedade. Só quando seu filho Ray nasceu por cesariana foi que ela foi diagnosticada com câncer estágio 4, o mais grave da doença.


Walker, que vive na cidade de Barnsley, Inglaterra, enviou uma queixa por escrito ao seu posto de saúde local, que se recusou a comentar sobre confidencialidade médica. E o Hospital Barnsley também disse que não poderia comentar até que uma queixa formal fosse apresentada.


Walker disse à BBC que ela tinha várias consultas médicas no posto de saúde de Dove Valley em Worsbrough (área metropolitana de Barnsley), e no Hospital Barnsley, mas afirma que a resposta foi que ela poderia ter síndrome do intestino irritável ou hipocondria.


"Eu não sei o que mais eu poderia ter feito. Era como se ninguém quisesse me ouvir", diz ela. "Eu disse a eles 'Sinto que vou morrer'. Eu queria ser levado a sério. Eu senti que algo estava muito errado.


A descoberta chocante

Quando Lois Walker foi ao hospital para ter seu filho em uma cesariana em 2021, os cirurgiões encontraram câncer nos ovários, fenodo e linfonodos.


"Meu abdômen tinha tumores por toda parte. Eles disseram que era como um saco de areia que tinha sido aberto e espalhado por toda parte", disse ela.


Walker tem três filhos e afirma que o diagnóstico levantou preocupações sobre os laços com seu filho recém-nascido.


"Tem sido muito, muito difícil", diz ela. "Eu não queria me apegar a ele, mas ele é o meu raio de luz. Meus filhos são meu propósito [de vida]. Quero me concentrar em deixar memórias. Se o amor pudesse me salvar, eu nunca morreria."



Lois Walker e Dale Wistow, com seu filho Ray. "Ele é o meu raio de luz", diz a mãe


'Ouça seu corpo'

O companheiro de Walker, Dale Wistow, afirma que o câncer "poderia ter sido detectado mais cedo". "É revoltante, especialmente por causa das crianças. Não sabemos o que o futuro nos trará agora."


Walker adverte as pessoas para ouvirem seus corpos e pedirem ajuda quando não se sentirem bem.


"Se um único médico lê sobre meu caso e conclui 'precisamos fazer melhor', é tudo o que eu quero", diz ela. "Eu não quero que ninguém passe pelo que estou passando."


Fonte:BBC NEWS

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem