HORROR EM AMITYVILLE: Casa que se tornou umas das mais assombradas e um dos crimes mais violentos dos Estados Unidos.

 

Imagem: Reprodução/Google

Era início de 13 de novembro de 1974, quando a 112ª casa da Avenida Oceânica em Amityville, Long Island, foi marcada por um dos crimes mais violentos, chocantes e famosos dos Estados Unidos. A família DeFeo foi alvo de um assassinato em massa. Ronald Joseph DeFeo Jr. atirou em seu pai Ronald DeFeo Sr., sua mãe Louise DeFeo e seus quatro irmãos mais novos: Dawn, 18, Allison, 13, Marc, 12, e John Matthew, 8.


Por volta das 18h30.m. Ronald — também conhecido como Butch — então com 23 anos, entrou no Bar de Henry alegando que seus pais foram baleados em casa. Quando um pequeno grupo de pessoas chegou em casa, eles se depararam com um massacre.  A polícia rapidamente procurou no local e confirmou a morte de seis pessoas. Butch foi levado para a delegacia mais próxima — o jovem alegou que um assassino ligado à máfia havia cometido os assassinatos.


No entanto, no dia seguinte, o rapaz mudou sua versão dos assassinatos e confessou o crime, afirmando: "Quando comecei, não conseguia parar. Foi tão rápido. Depois de matar sua família, ele disse que tomou banho, se livrou de suas roupas ensanguentadas e colocou uma limpa, e foi trabalhar normalmente. A causa nunca foi revelada.


A casa de Amityville / Crédito: Wikimedia Commons


DeFeo era como um terceiro adulto na família, cinco anos mais velho que sua irmã mais nova, Dawn. O menino sofria desde a infância com o abuso de seu pai, tais impactos eram sentidos mais duramente nele do que em seus irmãos.


Ele se tornou um adolescente problemático com transtorno de personalidade — algo que seria usado em sua defesa mais tarde — seus pais o mandaram para um psiquiatra, mas sem resultado. Ronald Sr. e Louise decidiram lidar com o filho de outra forma: com bens materiais. No seu 14º aniversário, o garoto foi presenteado com uma lancha.


Acostumado a receber dinheiro, Ronald Jr. começou a roubar quando seus pais recusaram alguma quantia. A situação piorou, até que aos 17 anos Butch foi expulso da escola por uso de drogas e episódios frequentes de agressão. A partir daí começou com o uso regular de alucinógenos, até entrar na heroína.


A tensão em casa era comum. Uma luta, no entanto, se destaca e aponta para o lado psicopata de DeFeo. Uma noite, seus pais estavam brigando na cozinha, Ronald pegou uma espingarda que ele mantinha em seu quarto e apontou para o rosto de seu pai, ordenou que sua mãe saísse da sala, e então disparou. Nada aconteceu, porque a arma foi descarregada, o garoto se retirou sem dizer nada.


Horror em Amityville

Ronald em seu julgamento / Crédito: Richard Drew


A autópsia revelou que Ronald Sr. foi o primeiro a morrer, ainda dormindo. Seguido por Louise, que acordou ao som de tiros, mas Butch apontou para seu peito e disparou. Indo para o quarto dos irmãos, Marc morreu no local, John agonizou por alguns minutos antes de morrer. As irmãs, Allison e Dawn eram as próximas, ambas acordadas em seus momentos finais.


Depois de confirmar inicialmente a autoria dos crimes, Ronald Jr. começou a mudar a história, e as controvérsias começaram a aparecer. Em uma versão, ele alegou que sua irmã Dawn matou seu pai, então sua mãe matou todos os irmãos e ele matou sua mãe. Outra explicação fornecida pelo psicopata diz que Dawn e um homem desconhecido mataram seus pais e Dawn matou seus irmãos. Ele me disse que a única pessoa que ele matou foi Dawn e aconteceu por acidente.


Todas as alegações contestadas por peritos, que apresentaram evidências de que as vítimas não apresentavam sinais de luta e a pólvora encontrada nas roupas apontava para tiros disparados à queima-roupa.


O julgamento do caso começou em outubro de 1975, e nas várias versões das mortes o juiz responsável, Thomas Stark, afirmou que "O testemunho do acusado de que ele não atirou e matou os membros de sua família é improvável e não merece crença".


Ronald em entrevista na prisão / Crédito: YouTube


Apesar da defesa ter feito insanidade e transtorno de personalidade antissocial, os jurados concluíram que o réu tinha conhecimento de suas ações no momento em que as executou. Ronald Butch DeFeo foi condenado a seis sentenças de prisão perpétua, hoje cumprindo sua sentença na prisão correcional sullivan de segurança máxima em Fallsburg, Nova York.


O caso também serviu de inspiração para uma série de obras do gênero terror. O livro Horror in Amityville foi lançado em 1977, e dezenas de filmes de mesmo nome chegaram ao cinema, o primeiro teve sua estreia em 1979.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem