Veja o que vai acontecer com o RG antigo após lançamento do novo documento digital.

Imagem: Reprodução/Google


O Governo Federal acaba de anunciar o novo modelo de carteira de identidade do Brasil (o novo RG). Promete unificar o número de identificação que está associado ao CPF, a fim de evitar vários números de RG na base de dados do CPF.


Quando se trata de carteiras de identidade brasileiras, as pessoas só podem obtê-las em seu estado natal, mas é possível obter um  identidade em cada estado. Isso permite que cada pessoa no Brasil tenha 27 números de identificação ao longo de suas vidas, levando a uma grande quantidade de dados armazenados em sistemas governamentais.


O novo RG manterá seu cpf unificado e pessoal. A segurança é aumentada porque não há chance de fraude com o novo RG, o que dificulta qualquer tipo de crime envolvendo dados pessoais de uma pessoa. O documento também contém um código QR, que permitirá ao usuário lê-lo e fazer uso dele digitalmente no aplicativo que está em desenvolvimento.


A expectativa é que o aplicativo combine diversos documentos em um só lugar, como carteira de trabalho e carteira de vacinação. No entanto, não haverá substituição desses outros dados, apenas uma melhor maneira de acessá-los e salvá-los.


Outra novidade interessante é que o novo RG pode ser usado como documento de identificação nos países do Mercosul.
O código MRZ nos documentos terá um formato internacional, incluindo quaisquer dados importantes. Em suma, tudo o que estava anteriormente no passaporte agora estará no novo cartão de identificação.


O que vai acontecer com a antiga id?

O novo RG entrou em vigor em 1º de março, mas de acordo com o Decreto nº 10.977, os institutos responsáveis pela identificação civil têm até março de 2023 para se adaptarem. As Secretarias de Segurança dos estados e do Distrito Federal continuam responsáveis pela emissão e envio deste documento.

 

De acordo com as regras, estima-se que o L atual permanecerá válido por até dez anos para pessoas com até 60 anos. Para pessoas com mais de 60 anos, o documento será aceito por tempo indeterminado.


Se você é um brasileiro que ainda não se cadastrou no Cadastro de Pessoas Físicas, é responsabilidade da sua instituição fazer isso por você de forma automática e completa. Ainda assim, todas as regras da Receita Federal permanecem válidas, apesar da mudança na carteira de identidade.

1 Comentários

  1. Que bom pois as indetidade atual eles acabam se esteaviando por esra dentro do plástico

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem