Redução de IPI: Confira os novo preços dos 10 carros mais vendidos do Brasil.

Imagem: Reprodução/Google

O novo decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, que entrou em vigor em 1º de março, reduziu em até 25% o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de alguns produtos, incluindo veículos. Mas será que só essa medida será responsável por tornar o carro zero km mais barato para o consumidor e, assim, reaquecer as vendas?


Segundo Antônio Jorge Martins, especialista em gestão estratégica de empresas automotivas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a queda do IPI focada em carros novos pode neutralizar as possíveis consequências da guerra entre Rússia e Ucrânia.


O especialista diz que um dos efeitos diretos dos conflitos e das sanções econômicas é o petróleo mais caro. "Quando o preço do petróleo aumenta, tudo aumenta no geral." Além disso, peças e componentes dos carros são feitos de plástico, um derivado de óleo.


"Se os custos aumentarem, eles podem ser compensados pela redução do IPI. As montadoras devem fazer de tudo para não sobrecarregar ainda mais a produção", diz. Nos últimos dois anos, a indústria teve que lidar com a pandemia, seguida pela alta do dólar e uma crise de componentes, especialmente a escassez de semicondutores, cuja oferta ainda não está regularizada.



Como resultado, os carros ficaram muito mais caros e sofreram ajustes quase semanais. Segundo o professor, a redução do IPI fará com que a maioria das montadoras mantenha seus preços no cenário mais favorável.


A Kia, no entanto, já divulgou sua lista com preços reduzidos. A minivan de Carnaval, por exemplo, recebeu um desconto de R$ 20 mil.


Fator dólar

Um fator que pode ser positivo nesta equação é o dólar. A moeda norte-americana chegou a custar R$ 5,70 em dezembro, mas hoje está cotada por R$ 5,09. O economista explica que algumas montadoras podem manter seus preços, já que quando os carros (importados ou domésticos) foram produzidos, o dólar era mais caro.


"Hoje em dia, os fabricantes podem até reduzir os preços dos veículos com base no preço do dólar mais baixo em relação ao passado, bem como devido à menor taxa de IPI", explica Antonio Jorge.


Efeito temporário

Mas uma possível queda ou estagnação nos preços pode ser temporária. Segundo Martins, é comum que em ano eleitoral haja uma oscilação do real em relação ao dólar. Com a desvalorização da nossa moeda, os custos aumentam novamente e o IPI não será capaz de lidar com os ajustes no carro zero km.


É muito difícil prever o tamanho do impacto do conflito entre a Rússia e a Ucrânia sobre o preço dos componentes automotivos e combustíveis. No cenário em que o barril de petróleo é mais caro - desde o início da guerra, o petróleo Brent já subiu 40% - a reação será nas cadeias e os preços, em geral, devem aumentar.


Neste caso, é improvável que o IPI reduzido faça com que as montadoras mantenham ou diminuam os valores de suas tabelas.


Anfavea defende medida

Em nota, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Carlos Moraes, disse: "Vemos com bons olhos o anúncio da redução do IPI, sinalizando uma direção correta pelo governo federal. A redução do Custo Brasil é benéfica não só para o setor industrial, mas também para a geração de empregos, para os consumidores e para a sociedade como um todo."


Pequeno desconto

Vale lembrar que, para veículos zero km, o desconto do IPI foi de 18,5%. Para explicar como será o desconto na prática, tomamos como exemplo o tributo aos carros com motor 1.0, que foi de 7%. Ou seja, se o carro custasse R$ 100 mil, só multiplicaria esse valor por 0,07, o que daria R$ 7 mil.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem