Presidente Bolsonaro afirmou em sua live semanal que pretende aumentar o Bolsa Família em ‘pelo menos 50%’.

Imagem: Reprodução/Google


Na última quinta-feira, 3, o presidente Jair Bolsonaro disse que pretende elevar o valor do Bolsa Família em "pelo menos 50%" até o fim de seu mandato. Durante uma live nas redes sociais, o chefe do Executivo disse que o assunto tem sido analisado "de forma responsável" com o ministro da Economia, Paulo Guedes.


"Estamos trabalhando para aumentar esse valor (do Bolsa Família). Nós pretendemos chegar lá... dar pelo menos 50% (aumento). Tem o Paulo Guedes discutindo isso. Com responsabilidade", disse o presidente.


De acordo com informações da jornalista Malu Gaspar, do jornal O Globo, Bolsonaro tem sido pressionado por líderes do Centro a prorrogar o auxílio emergencial até o fim de seu mandato, visando uma possível reeleição.


Auxílio emergencial

Em meio à queda de popularidade e à pressão da CPI de Covid, Bolsonaro também falou sobre os protestos pelo aumento da ajuda emergencial realizada no final de maio.


"Tem gente que diz que o atendimento emergencial, que é de R$ 250, é absurdo, muito pouco. concordar. Mas você nunca disse que o Bolsa Família é hoje, em média, R$ 192. Eles decidiram dizer que (R$ 250) é pouco por causa da pandemia. Quando não havia pandemia, os pobres podiam continuar vivendo com R$ 192, o que é pouco", disse.


Durante o broadcast, o presidente também comemorou a previsão de aumento de 4% no Produto Interno Bruto (PIB) e criticou o preço dos combustíveis, que, segundo ele, são altos por causa do ICMS estadual.