Confira como realizar o Cadastro Único e ter direito aos benefícios do Governo.

Imagem: Reprodução/Google


Para ter acesso a programas e benefícios sociais do Governo é necessário manter o CadÚnico sempre atualizado. Desde 2020, o tema tem sido amplamente divulgado, já que o cadastro dá acesso ao recebimento do Auxílio Emergencial. Por este motivo, principalmente, o número de cadastros aumentou exponencialmente nos últimos meses


O Cadastro Único (CadÚnico) é um programa governamental que coleta dados pessoais e trabalhistas. Dessa forma o governo consegue identificar e dar suporte a quem precisa.


Como saber se estou cadastrado no CadÚnico?

Você pode verificar seu cadastro de três formas:


1 – Site:


Acesse o site Meu CadÚnico.


Preencha o formulário com seu nome completo e clique em “Emitir”.


2 – Aplicativo:


Baixe o aplicativo do CadÚnico.


Preencha o mesmo formulário do site e verifique as informações.


3 – Telefone:


Ligue para o número 0800 707-2003. Selecione a opção 5. O horário de atendimento é das 7h às 19h, de segunda a sexta-feira, e das 10h às 16h aos finais de semana e feriados.


Mesmo proporcionando benefícios, muitos brasileiros que poderiam ter acesso não fizeram a inscrição no programa. Para validar seus direitos, é necessário procurar uma unidade do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) da sua cidade. O Centro é responsável pela inserção e atualização dos dados no sistema federal.


Para estar devidamente cadastrado serão necessárias informações do segurado e do núcleo familiar. Dados como situação de moradia, profissão, renda, escolaridade, gastos mensais, entre outros, precisam ser fornecidos.


Confira os critérios para se inscrever no Cadastro Único do Governo Federal:


– Ter renda mínima mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 550);


– Ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300);


– Nomear um membro responsável pelo grupo familiar, desde que tenha 16 anos ou mais, para ser o titular do cadastro;


– O chefe do grupo familiar deve ser, preferencialmente, mulher e apresentar o CPF e/ou Título de Eleitor;


– Famílias indígenas e quilombolas podem apresentar qualquer um dos documentos citados a seguir.


Todos os membros da família devem apresentar pelo menos um dos seguintes documentos (o titular tem que fornecer a documentação completa).


Confira os documentos necessários para o CadÚnico:

– Certidão de Nascimento;


– Certidão de Casamento;


– CPF;


– RG;


– Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI);


– Carteira de Trabalho;


– Título de Eleitor.


O cadastro demora 15 dias para ser analisado pelo poder público. Depois, basta entrar em contato com o CRAS onde o registro foi realizado. Após aprovação, será fornecido o Número de Identificação Social (NIS).


Benefícios que o cidadão tem direito pelo CadÚnico:


– Programa Bolsa Família;


– Programa DF sem Miséria;


– Programa Bolsa Alfa;


– Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas);


– Programa Morar Bem;


– Isenção de taxas em concursos públicos federais;


– Isenção de taxas em concursos públicos distritais;


– Telefone Popular;


– Fomento às atividades produtivas rurais;


– Tarifa social de energia elétrica;


– Tarifa social de água;


– Carteira do idoso;


– Carta social;


– Redução da contribuição previdenciária para fins de aposentadoria de dona de casa;


– Programa Identidade Jovem;


– Auxílio emergencial durante a pandemia da covid-19.


Obs.: cada benefício tem seus próprios critérios. O cadastro na plataforma não garante o recebimento de todos eles.


É indicado manter os dados atualizados junto ao CRAS da sua cidade após efetuar o cadastro. A sugestão é que os dados sejam conferidos e atualizados a cada dois anos.