Governo realiza novo pente-fino do INSS em 2021, ferramenta pretende cortar benefício em combate a fraudes no país.

Imagem: Reprodução/Google


O pente-fino do INSS já é usado como ferramenta de combate a fraudes. No entanto, para este ano, o governo pretende ter uma redução de R$ 2,5 bilhões, somente com essa análise e com a comprovação de vida do INSS.


O novo pente-fino do INSS terá um alcance de R$ 1,9 bilhão, segundo o Ministério da Economia. Isso é feito por meio de um programa desenvolvido pelo instituto que verifica os benefícios que mostram indícios de irregularidade.


O pente fino do INSS já é uma estratégia utilizada, no entanto, para aposentadorias e pensões, por isso a estratégia é usar a mesma ferramenta para analisar benefícios de doença e aposentadoria por invalidez. Esses dois serão analisados com o Programa de Revisão do Benefício por Incapacidade.


Trata-se de um pente fino do INSS, porém, é específico para benefícios envolvendo perícia médica. A expectativa é que essa estratégia gere uma economia de R$ 591 milhões.


O novo pente fino do INS será colocado em prática devido à necessidade de reduzir os gastos do corpo. Isso porque, no Orçamento Geral da União 2021, o governo repassou um valor menor do que o esperado.


Para 2021, foi definida uma despesa de R$ 707 bilhões para a Seguridade Social. Com isso, o governo pretende cortar R$ 5,7 bilhões em despesas. Assim, está prevista uma redução de R$ 1,9 bilhão em aposentadorias e pensões e r$ 591 milhões em auxílio-doença e aposentadoria por invalidez.


O pente fino do INSS pode fazer com que seu benefício seja bloqueado ou cancelado. Quando a agência identifica qualquer irregularidade, ele entra em contato com o segurado para avisar. Além disso, solicita o envio de documentação que comprove o direito de receber.


Por isso, o instituto alerta para a importância de manter os dados cadastrados atualizados, como endereço e números de contato. Após a notificação, o segurado tem até 60 dias para apresentar os documentos solicitados, que podem ser:


  • Documentos pessoais;
  • Comprovante de endereço e residência;
  • E-mail;
  • Números de telefone;
  • Documentação complementar relacionada ao caso específico de cada benefício.


Os beneficiários podem enviar documentos de três maneiras: Site ou aplicativo do INSS ou pessoalmente. Na primeira opção, basta acessar o portal, escolher o serviço "Beneficiar atualização de dados" e anexar os documentos.


Para fazer a entrega pessoalmente você precisa marcar a consulta. Isso está disponível no Call Center 135 do INSS. O segurado deve escolher a opção "Entrega de documentos por convocação". A entrega pode ser feita:


  • Exigência expressa (urnas localizadas nas entradas dos postos previdenciários);
  • Via entrega para uma das agências abertas.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem