Ataque a tiros em Viena deixa pelo menos 4 mortos e 15 feridos; Confira o vídeo.

imagem: EPA/CHRISTIAN BRUNA

Homens armados com rifles abriram fogo na noite de segunda-feira (2/11) em seis locais diferentes no centro de Viena, capital da Áustria, matando pelo menos quatro pessoas e ferindo outras 15, segundo a polícia local.


O chanceler austríaco Sebastian Kurz falou de um "ataque terrorista repulsivo". Um dos atiradores foi morto por agentes de segurança portando um rifle, uma pistola, um facão e um colete falso de explosivos.


Segundo Karl Nehammer, ministro do Interior austríaco, buscas na residência do "terrorista islâmico" indicaram que ele era um simpatizante da facção Estado Islâmico.


Um segundo suspeito do ataque foi preso. Há mais de 1.000 agentes envolvidos na busca por outras pessoas suspeitas de estarem ligadas ao ataque que matou duas mulheres e dois homens, com identidade não revelada.


O ataque ocorreu perto da sinagoga Seitenstettengasse, que é o principal templo judeu de Viena, mas ainda não se sabe se este foi o principal alvo do ataque.


O ataque ocorreu poucas horas antes de a Áustria impor novas restrições nacionais para tentar conter o aumento dos casos de Covid-19. Muitas pessoas foram a bares e restaurantes antes de fecharem, que vão durar até o final de novembro.


De acordo com testemunhas, os atiradores dispararam contra essas multidões.


Estima-se que outras 15 pessoas estejam internadas, seis delas em estado grave. Um policial que guarda a sinagoga está entre os feridos, informou o Ministério do Interior.


O líder da comunidade judaica local, Oskar Deutsch, tuitou que a sinagoga estava fechada no momento do início do ataque.


Imagens postadas nas redes sociais mostraram pessoas correndo pelas ruas enquanto tiros eram disparados.


Chris Zhao estava em um restaurante próximo quando o tiroteio começou.


"Ouvimos barulhos que soavam como fogos de artifício. Ouvimos cerca de 20 a 30 (tiros) e percebemos que eram tiros reais. Vimos as ambulâncias. Enfileirado. Houve vítimas. Infelizmente, também vimos um corpo deitado na rua ao nosso lado", disse ele à BBC.


Getty Imagens


Uma grande operação de segurança foi então implementada na cidade, com as autoridades pedindo que o centro de Viena fosse evitado, bem como o uso do transporte público.


Estradas ao redor também foram bloqueadas e, na fronteira com a República Tcheca, agentes estão realizando verificações aleatórias para tentar conter possíveis atiradores.


De acordo com a agência de notícias APA, várias residências foram revistadas e suspeitos presos. Sua identidade não foi oficialmente divulgada pelas autoridades.


Reações dos líderes europeus

No Twitter, Kurz escreveu que a "república está passando por tempos difíceis".


"Nossa polícia agirá decisivamente contra os autores deste ataque terrorista hediondo. Nunca nos permitiremos ser intimidados pelo terrorismo", disse ele.


Outros líderes europeus condenaram o ataque, como o presidente francês Emmanuel Macron.


"Nós, o povo francês, compartilhamos o choque e a dor do povo austríaco, atingido esta noite por um ataque no coração de sua capital, Viena. Depois da França, um amigo nosso é atacado.
Esta é a nossa Europa. Nossos inimigos devem saber com quem estão lidando", disse ele.


Três pessoas morreram na semana passada em um ataque a faca em uma igreja na cidade francesa de Nice, incluindo uma mulher brasileira, no que Macron disse ser um "ataque terrorista islâmico".


O primeiro-ministro do Reino Unido também declarou que os "pensamentos do país estão com o povo da Áustria".


O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, chamou o ataque em Viena de um ato covarde que violou a vida humana e os valores.


O primeiro-ministro holandês Mark Rutte chamou o tiroteio de "um ato hediondo" e expressou "solidariedade" com a Áustria.


VEJA O VÍDEO: