Veja qual a previsão para votação do novo programa Renda Cidadã.


O programa social Renda Cidadã chega para substituir o Bolsa Família, criado no governo Lula. Antes disso, precisa ser aprovado pelo legislativo.
A expectativa é que essa aprovação ocorra antes de janeiro, uma vez que o programa também serviria como substituto do auxílio emergencial, fornecido pelo governo federal durante a pandemia do novo coronavírus.


O auxílio emergencial tem data de término: 31 de dezembro deste ano. A Renda Cidadã, no entanto, não tem data para ser aprovada.


Estender o benefício para 2021 não está nos planos do atual presidente Jair Bolsonaro, que já vetou a questão e disse que o custo da ajuda é pouco para quem recebe, mas "muito para o Brasil".


Um questionário publicado na 21ª edição do Barômetro do Poder, iniciativa do InfoMoney que compila as expectativas das principais consultorias de análise de risco político e analistas independentes ativos no Brasil sobre algumas das questões destacadas no cenário político nacional, retratam a angústia em relação ao Rendimento cidadão.


Dos especialistas consultados, 66% acreditam que as chances do governo Jair Bolsonaro conseguir aprovar o novo programa no Congresso Nacional ainda este ano, a partir de janeiro de 2021.


Enquanto isso, outros 33% atribuem probabilidade moderada do tema prosperando em meio ao cronograma apertado.


Em relação a uma alta chance de aprovação no período, nenhum participante se manifestou.


Numa escala de 1 (muito baixa) a 5 (muito alta), a probabilidade média atribuída pelos analistas políticos à aprovação do Imposto de Renda cidadã até o final de dezembro foi de 2,2, segundo a pesquisa.


"Além das dificuldades de articulação política crônica, que diminuíram nos últimos meses, mas ainda existem, o Planalto enfrentará um calendário muito restrito, não só pelas eleições, mas também pelas diversas questões relevantes que aguardam deliberação, como a regulamentação do novo Fundeb", opinou um dos participantes.