Consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física

Imagem: Reprodução / Google

A Receita Federal abriu nesta sexta-feira (23), às 10h, a consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF).

O crédito bancário para 273.545 contribuintes será realizado no dia 30 de outubro, totalizando R$ 560 milhões.


Desse montante, R$211.773.065,86 são destinados a contribuintes com prioridade legal: 5.110 idosos acima de 80 anos, 38.301 entre 60 e 79 anos, 4.636 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 21.244 contribuintes que possuem a maior fonte de renda sendo de seu ensino.


Houve também a contemplação de 204.254 contribuintes não prioritários, que entregaram a declaração até 5 de outubro.


Para saber se a declaração foi liberada, o contribuinte deve entrar no site da Receita Federal.


Na consulta ao Portal e-CAC, há a possibilidade de acessar o Serviço de Imposto de Renda e analisar se há inconsistências de informações identificadas pelo processamento.


Nesse caso, o contribuinte pode analisar as inconsistências e se auto regularizar, mediante a entrega de uma declaração retificadora.


A Receita Federal disponibiliza um aplicativo para tablets e smartphones para facilitar a consulta de declarações de IR e a situação cadastral no CPF. Com a plataforma digital, há a possibilidade de consulta diretamente nas bases da Receita Federal de informações em relação à liberação de restituições e à situação cadastral.


Mais informações sobre Imposto de Renda

Imposto de renda é um imposto federal sobre a renda. Isto é, sobre o que você ganha. Segue sua evolução dos ativos. Para realizar esse acompanhamento, o governo pede aos trabalhadores e empresas que informem à Receita Federal quais são seus ganhos anuais.


O rendimento é tributado no momento do recebimento. No ano seguinte, a Receita Federal faz a avaliação do que foi declarado e se o que ele cobrou é realmente o que você precisaria pagar de acordo com o tamanho de seus ganhos.


Para que o governo tenha acesso a essas informações, é necessário fazer a "Declaração de Ajuste Anual" do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física). A declaração geralmente é feita do início de março ao final de abril. É necessário apresentar todos os ganhos e despesas em serviços no último ano.