Preço do combustível pode chegar a R$ 10 até o fim de 2022? Confira detalhes do aumento.

Imagem: Reprodução/Google

Os preços dos combustíveis ainda criam incertezas em muitos motoristas. Em 2021, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), houve aumento de 58% no valor do etanol, 46% para a gasolina e 45% para o diesel.


Com isso, a expectativa é saber como serão os valores nas bombas durante este ano. Hoje em dia, há alguns pontos importantes que devem ser levados em conta na compreensão da formação de preços dos combustíveis no Brasil.


Variáveis que impactam os preços dos combustíveis

Um deles é o dólar, que deverá sofrer grande volatilidade este ano, principalmente por causa da grande tensão eleitoral. Especialistas financeiros e técnicos indicam que a moeda deve manter seu preço acima de R$ 5,50 ao longo de 2022, com estimativa média de até R$ 5,80.


O Boletim Focus do Banco Central, que reúne projeções feitas por mais de cem instituições e consultorias na área econômica, acredita que o dólar deve terminar o ano na faixa de R$ 5,55.


Outro fator decisivo para o aumento dos preços dos combustíveis é a inflação, que, apesar da previsão de queda para este ano, não deve ficar abaixo dos 5,3% previstos no documento do governo. O valor de negociação do barril de petróleo antes do mercado internacional também influenciará o preço dos combustíveis pontualmente.


Se a economia mundial mostrar sinais de recuperação com a redução da intensidade da pandemia, a expectativa é que o preço do petróleo no mercado internacional se estabilize, com chances de ser menos volátil ao longo dos meses.


O fornecimento de mais barris pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (OPEP+) contribuirá para esse retorno positivo.


Mas, afinal, qual será a situação do combustível em 2022?

Apesar do cenário de instabilidade vindo com o ano eleitoral, outras questões envolvendo a queda da inflação e a retomada gradual do petróleo no mercado internacional são considerados fatores que podem contribuir para uma forte redução dos preços dos combustíveis.


Por outro lado, a desvalorização do real em relação ao dólar pode ser o grande vilão dos preços encontrados nas bombas. O cenário de instabilidade pode elevar a gasolina a valores próximos a R$ 7 e R$ 8, como já experimentado por muitos brasileiros durante 2021.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem