INSS: Confira como garantir o benefício com mais vantagens na revisão do INSS

Imagem:Google

Os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) podem discordar do valor pago em sua aposentadoria ou pensão por morte e solicitar a correção do cálculo feito pelo órgão.

O objetivo é ter uma renda maior. A primeira solicitação deve ser administrativa, feita no site do INSS. No entanto, se não for satisfatório, é necessário ir ao tribunal.


Em ambas as circunstâncias, o pedido deve ser feito nos primeiros dez anos do pagamento do benefício. Prescrito esse limite, não é possível reclamar, com raras exceções. Vale ressaltar que a Justiça só recebe pedidos de revisão que já passaram pela via administrativa. A exceção inclui apenas a revisão que não é aceita no INSS.


E vale ressaltar que desde 2019 não há atendimento presencial nas agências do INS para solicitações de revisão.


Verificação de dados

Para quem quer garantir um benefício mais vantajoso na revisão do INS, é necessário redobrar a atenção para comprovar os dados. Portanto, é necessário verificar se todas as contribuições foram avaliadas pelo Instituto durante a concessão.


O pedido de revisão deve ser baseado. Caso contrário, o beneficiário do INS pode correr o risco de perder e ainda sofrer com o valor recebido. Também é possível escrever uma carta listando o erro e justificando a solicitação.


Busca por especialista

Se houver incertezas sobre qual revisão tem direito ou mesmo se há probabilidade de aumento do benefício mensal, a indicação é ir atrás de um profissional da área, o advogado previdenciário.


O especialista avaliará todo o histórico profissional do trabalhador, dando a opinião sobre as chances efetivas de revisão. Se forem identificadas inconsistências nos pagamentos dos benefícios revisados, o segurado recebe os valores retroativos a partir da Data de Início do Benefício de Prestação (DIB). O valor é restrito aos últimos cinco anos, mais a primeira parcela do novo rendimento.


Analise se há erros

Primeiro, verifique a carta de concessão.
Inclui o tipo de aposentadoria, a lista de salários incluídos no cálculo e os que foram excluídos, o índice de correção e o valor corrigido. Veja se os dados pessoais, meses anotado nas carteiras de trabalho e cartão de contribuição estão incluídos na lista.


Veja os valores dos salários em reais, e os valores recebidos até junho de 1994 são considerados, valendo apenas como tempo de contribuição; e se há inclusão do exercício em atividade especial, se tiver.


Prazos

Mais uma vez destacamos a importância de estar atento ao período de uma década para pedir a revisão, começando a contar com o DIB.


As exceções se aplicam quando há um novo documento ao que nem o INSS nem o beneficiário tiveram acesso. É o exemplo de processo trabalhista, ou quando, na concessão preliminar do benefício, o órgão não avaliou um documento que já pertencia ao processo administrativo.


Prós e contras

A principal vantagem do pedido de revisão do INSS é que ele é completamente gratuito. Ainda na Justiça, se os valores atrasados somam até 60 salários mínimos, o pedido pode ser feito na Justiça Federal sem a contratação de advogado.


Já com valores mais elevados, a revisão deve ser solicitada na Justiça Federal. Portanto, é necessário um representante legal desde o início do processo.


Como solicitar uma revisão?

Os segurados do INSS devem se inscrever através do site ou aplicativo My Inss (Google Play/App Store). A documentação que comprova o direito e a carta com a solicitação são encaminhadas pelas plataformas de serviço virtual.