27 C
São Paulo
sábado, março 2, 2024
- Publicidade -spot_img

Você está correndo riscos se usa seu CPF como CHAVE PIX! Entenda com se proteger

Leia Mais

Muitas pessoas utilizam o PIX diariamente no país. Na verdade, é difícil encontrar alguém que não lide através do sistema de pagamentos instantâneos. A ferramenta tem pouco mais de três anos, foi lançada no final de 2020, mas já se tornou o meio de pagamento mais utilizado no Brasil.

O PIX caiu para a população de forma impressionante, e seu desempenho ainda é surpreendente. Em suma, o meio de pagamento instantâneo estabelecido pelo Banco Central (BC) adquiriu importância vital nas transações financeiras realizadas no país nos poucos anos em que vigorou.

Na prática, o sistema consiste em lidar com valores financeiros entre contas em poucos segundos, a qualquer hora do dia. Não importa se é um dia útil ou feriado, as transações podem ser feitas todos os dias. Isso torna o PIX rápido e prático, sem contar que o sistema também é completamente seguro.

No entanto, vale ressaltar que é necessário ter uma chave PIX para realizar transações pelo sistema. Se uma pessoa não tiver uma chave cadastrada, ela não poderá pagar ou receber por meio da ferramenta.

Você sabe o que é uma chave PIX?

Embora o PIX tenha aprovação muito alta no Brasil, muitas pessoas ainda estão preocupadas com o registro da chave PIX. Em suma, esse termo se refere ao método de identificação de uma conta bancária e substitui o uso de informações como agência e conta, ou seja, as pessoas informam a chave PIX para receber um pagamento ou transferência.


As pessoas também podem usar a chave PIX para fazer conversões. Por exemplo, para que alguém transfira algum valor para outro usuário, ele precisará de uma chave, já que ela determina a conta. A propósito, as chaves PIX podem ser:

  • CPF ou CNPJ;
  • Número de telefone;
  • Email;
  • Chave aleatória.

Conheça as características das chaves PIX

De acordo com o BC, pessoas com conta de pessoa física (PF) podem ter até cinco chaves PIX por conta. Assim, uma pessoa poderá registrar cinco chaves aleatórias ou usar outras chaves, totalizando três, e registrar mais duas chaves aleatórias.

Para contas de pessoa jurídica (PJ), o BC permite o cadastro de até 20 chaves por titular. Como as empresas costumam ter um giro financeiro mais expressivo do que as pessoas físicas, o órgão permite quatro vezes o registro das chaves PIX.

Observe que a mesma chave não pode ser registrada em mais de uma conta. Em outras palavras, a chave só pode ser vinculada a uma conta. Portanto, uma pessoa que usa o CPF como chave PIX de uma organização não poderá usá-lo como chave de outra organização.

Isso porque o sistema do Banco Central precisa saber exatamente para qual conta o PIX deve ser enviado ou de qual conta o valor deve ser pago. Dessa forma, não há risco de debitar ou pagar na conta errada.


Vale ressaltar que é possível transferir essas chaves PIX entre organizações, pelo menos no que diz respeito a CPF, e-mail e telefone.

Brasileiros podem escolher chaves aleatórias

Em relação às chaves aleatórias, as pessoas não precisarão inserir nenhum dado pessoal, como CPF ou celular. Em suma, um código único de 32 caracteres com letras e símbolos é gerado aleatoriamente pelo banco central. Assim, esse código é associado à conta criada por ele.

Ou seja, essa opção parecia ser usada com códigos QR gerados pelo aplicativo da instituição financeira. A pessoa que efetuar o pagamento precisará apenas selecionar a opção “Pagar com QR code”, apontar a câmera do celular para a imagem fornecida e informar o valor do PIX. É uma maneira muito simples e rápida de lidar.

No entanto, é importante notar que a chave aleatória também pode ser copiada e enviada com uma mensagem, como é o caso de outras chaves PIX. Por outro lado, chaves aleatórias não permitem portabilidade.

Portanto, uma pessoa que gera uma chave aleatória para uma instituição financeira não poderá usá-la ou transferi-la para outra instituição. Nesse caso, será necessário criar uma nova chave.

Design sem nome 59

Usar o CPF como chave PIX pode gerar riscos

Embora chaves aleatórias possam ser usadas, muitas pessoas acabam usando o CPF como chave, principalmente devido à familiaridade com o documento. No entanto, especialistas afirmam que o risco é muito alto para os usuários que usam o documento como chave, já que uma pessoa pode cair em golpes de criminosos.

Em suma, recomenda-se o uso de outras chaves, como e-mail e telefone, ou mesmo chaves aleatórias, quando uma pessoa faz compras e pagamentos a estranhos. A principal dica é não usar o CPF de forma discriminatória, em todas as transações realizadas.

Como é possível cadastrar até cinco chaves PIX, é recomendado informar o CPF apenas para as pessoas mais próximas de você, de confiança. Na verdade, nem é necessário registrar CPF como chave. As pessoas podem usar outras opções, como e-mail, celular e chave aleatória, que não exibem dados importantes como CPF nas transações.

Por fim, os criminosos podem aplicar diversos golpes por meio do CPF, como a celebração de contratos em nome da pessoa, o que pode resultar em prejuízo financeiro significativo. Para não ter uma folha de cabeçalho futura, não use CPF como chave PIX. Se você já tiver uma chave com o documento, exclua-a e crie outra chave.

Bruno Ferreira
Bruno Ferreirahttp://redebrasilnews.com.br/
Além de sua atuação nas redações, Bruno Ferreira também explorou a era digital, envolvendo-se em projetos de mídia online, podcasts e outras formas inovadoras de contar histórias. Sempre em busca de novas formas de se conectar com o público, um defensor incansável da liberdade de imprensa e da importância do jornalismo independente na sociedade contemporânea.

Últimas Notícias