17.7 C
São Paulo
quinta-feira, junho 13, 2024
- Publicidade -spot_img

INSS emite alerta sobre possível extinção de aposentadorias; Entenda a situação

Leia Mais

Segundo publicação que circulou nas redes sociais e aplicativos de mensagens, a aposentadoria terminou por meio do tempo de contribuição concedido aos brasileiros pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os panfletos usam um retrato do presidente Lula (Latr) ao fundo.

Mais uma vez, trata-se de uma informação falsa. Para esclarecer a situação, a própria autarquia emitiu um alerta aos munícipes sobre este assunto e negou todo o conteúdo disponibilizado através da carta que foi publicada por diferentes canais.

Segundo informações equivocadas, a aposentadoria foi encerrada pelo tempo de contribuição do segurado que iniciou a contribuição da reforma da Previdência em 2019 pelo governo federal. O instituto afirma que essa não é a realidade e que esse tipo de benefício ainda é concedido aos brasileiros.

 INSS tem o calendário suspenso?

Em determinado trecho, é dito que, diante do cenário, o segurado do INSS não tem datas para receber o auxílio previdenciário. A informação também não se sustenta. O calendário oficial é válido para julho e os próximos meses.

Neste mês, milhões de brasileiros atendidos por autossuficiência começam a receber valores relacionados a benefícios a partir de 25. Para determinar as datas, é considerado o número final do NIS (Número de Identificação Social).

Regras para aposentadoria por contribuição

De acordo com as explicações fornecidas pelo Instituto Nacional do Seguro Social, as regras de aposentadoria foram alteradas dependendo do tempo de contribuição da reforma da Previdência. No entanto, o benefício ainda está lá. Uma das mudanças determina que:

concedido a um homem que tenha 20 anos a partir do momento da inscrição e 65 anos de idade;
É concedido a uma mulher que tenha 15 anos de contribuição e 62 anos de idade.
No entanto, isso só deve acontecer se os trabalhadores começarem a contribuir para o INSS a partir de 14 de novembro de 2019. Para outros, serão aplicadas regras de transição.

Últimas Notícias