25.4 C
São Paulo
segunda-feira, julho 22, 2024

Empréstimo do Bolsa Família! Confira detalhes de como é feito e como ter o crédito aprovado no programa

Leia Mais

Após momentos de incerteza devido às deliberações do governo federal, o empréstimo dos titulares do Bolsa Família foi finalmente liberado. A contratação do limite de crédito está disponível por meio da Conta Poupança Social Digital, gerenciada pelo aplicativo Caixa Tem. 

A liberação do empréstimo para portadores do Bolsa Família foi uma decisão tomada em conjunto com a linha de empréstimo consignado de reintegração para beneficiários da Prestação Contínua (BPC). Foi estabelecido que este público está autorizado a alocar 5% do valor total do auxílio. 

Outro ponto importante a ser observado são as taxas de juros, cujo teto é de 2,5%. Esse é o percentual máximo que os bancos e demais instituições financeiras credoras estão autorizados a cobrar dos contratantes do Bolsa Família.

Quais regras um portador do Bolsa Família deve seguir para solicitar um empréstimo?

Cada família com renda mensal de até R$ 218 por pessoa tem direito. Isso significa que a renda combinada de toda a família dividida pelo número de pessoas deve ser inferior a R$ 218.

Veja-se o exemplo de uma mãe que cria sozinha três filhos pequenos. Ela trabalha como diarista, ganhando R$ 800 por mês. Como as crianças não trabalham, R$ 800 é a única renda da família.

Dividindo R$ 800 (renda bruta) por quatro (número de membros da família), o resultado é de R$ 200. Como R$ 200 é menos de R$ 218, essa mãe e seus três filhos têm direito ao Bolsa Família.

As famílias devem cumprir seus compromissos nas áreas de saúde e educação. São eles:

  • Acompanhamento pré-natal;
  • Acompanhamento do calendário nacional de vacinação;
  • Acompanhamento do estado nutricional de crianças menores de 7 anos;
  • A matrícula escolar mínima é de 60% para crianças de 4 a 5 anos e de 75% para beneficiários de 6 a 18 anos incompletos e que não tenham concluído o ensino fundamental;
  • A família deve sempre atualizar o cadastro consolidado (pelo menos a cada 24 meses).

Titular do Bolsa Família tem direito a empréstimo de R$ 1 mil 

Um novo empréstimo de R$ 1.000 foi aprovado para um titular do Bolsa Família. A linha de crédito foi lançada originalmente na versão antiga do programa social, onde estava ameaçada pela transição do governo. 

O crédito foi introduzido na forma de empréstimo consignado, que foi descontinuado em fevereiro de 2023 após amplas discussões. No entanto, assim como o Bolsa Família, a Caixa Tem passou por uma atualização e está de cara nova.

Dessa forma, o cliente que acessar o app verá uma nova ferramenta, a “Caixa Poupança tem”. Nesse novo setor do aplicativo, o beneficiário do Bolsa Família já pode obter uma modalidade de empréstimo.

A diferença dessa oferta em relação à antiga folha de pagamento da empresa Auxílio Brasil é que, nesse caso, o pedido de crédito é submetido a uma análise da Caixa Econômica Federal (CEF). 


Quanto os beneficiários recebem do Bolsa Família?

As famílias beneficiadas pelo programa, composto por até dez integrantes, terão acesso à parcela padrão do Bolsa Família de R$ 1.400. O valor está vinculado à nova fórmula do governo federal que garante uma conversão mínima para cada componente. 

Pela regra do Bolsa Família, cada membro do grupo familiar tem direito a um benefício de R$ 142. No caso de famílias pequenas que não chegam sequer ao valor fixo de R$ 600, o complemento é garantido pelo governo federal. 

No entanto, famílias numerosas, como as de dez pessoas, têm direito a receber parte do valor total de R$ 1.420 de acordo com a nova fórmula de cálculo do Bolsa Família. O valor representa apoio financeiro relevante para a manutenção e bem-estar dos associados. 

  • Cada membro da família tem direito a R$ 142, isso vale para todos os beneficiários;
    Com o valor, cada família deve receber pelo menos R$ 600 por mês;
  • R$ 150 extras por criança até 6 anos;
  • R$ 50 extras para maiores de 7 anos, jovens menores de 18 anos, gestantes e lactantes;

Esses valores são cumulativos. O Governo terá de corrigi-lo, o mais tardar, no prazo de dois anos. Os novos pagamentos do Bolsa Família começaram em março com valor médio de R$ 670. O texto também prevê o “benefício excepcional de remanejamento” que atende famílias que antes recebiam o auxílio Brasil, o programa de transferência de renda do governo de Jair Bolsonaro.