21.7 C
São Paulo
sábado, março 2, 2024
- Publicidade -spot_img

Valor da pensão por morte do INSS foi reduzido? confira as regras que Supremo Trinunal Federal (STF) considerou

Leia Mais

STF decidiu pela manutenção do cálculo usado desde 2019 que reduz o valor da pensão por morte do INSS. Entenda como é calculado o benefício conforme o número de dependentes.
Imagem: Reprodução/Rede Brasil News

O Supremo Tribunal Federal considerou constitucional o cálculo da pensão por morte paga pelo INSS. Por 8 votos a 2, o dispositivo mantém a conta que está em vigor desde 2019, após a reforma da Previdência.

O Sindicato Nacional dos Assalariados e Assalariados do Território Rural (CONTAR) contestou esse cálculo, alegando que houve uma redução desproporcional na pensão por morte.

Desde 2019, o cônjuge e dependentes do segurado do INSS deixaram de receber 100% do valor da aposentadoria, que na nova conta passou a ser de 50% do benefício, acrescido de 10% para cada dependente, até o máximo de 100%.

Decisão do STF mantém regras

Em julgamento virtual nesta sexta-feira, 23, ministros do STF votaram a favor da constitucionalidade do artigo 23 da Emenda Constitucional 103 de 2019. Assim, mantém-se o pagamento de 50% (metade) do valor do vencimento, acrescido de 10% para cada dependente, para o relator, ministro Luís Roberto Barroso, não há inconstitucionalidade nas mudanças previdenciárias. A maioria dos ministros acompanhou o voto de Barroso.

“Não vejo, enfim, qualquer insulto ao princípio da proibição do declínio social. O princípio da proibição da retratação, que continua a suscitar controvérsia na doutrina, não pode ser interpretado como proibição de qualquer atuação restritiva do legislador em matéria de direitos fundamentais, sob pena de violar o princípio democrático.”

Pensão por morte: Quando posso receber o pagamento integral?

Como explicamos acima, desde 2019, o dependente do segurado falecido deixou de receber 100% automaticamente do valor do benefício, com esse valor mudando gradativamente de acordo com o número de dependentes após a reforma previdenciária.

Assim, o valor da pensão por morte pode variar de 60% (50% do valor, mais 10% para cada dependente) se houver apenas o cônjuge como dependente e até 100% quando houver até 5 dependentes.

Quais pessoas tem direito ao benefício?

A pensão por morte é concedida à dependência da pessoa falecida que, à data do óbito, tinha a qualidade de segurado, já tinha recebido prestações da segurança social ou já tinha direito a determinadas prestações antes da morte.

Assim, em caso de morte, a dependência desse segurado poderá requerer o recebimento da pensão por morte, desde que se enquadre nas três categorias determinadas pela Agência, a saber:

  • Categoria 1 cônjuge ou companheiro(s), incluindo homossexualidade;
    filho não emancipado ou equiparado, de qualquer condição, menor de 21 anos;
    Criança de qualquer idade, com deficiência ou deficiência intelectual ou mental que a torne absoluta ou relativamente incapaz, conforme declarado pela Justiça.
  • Pais da categoria 2 (desde que comprovem dependência econômica)
  • Classe 3 irmão não emancipado, de qualquer condição, menor de 21 anos de idade; Um irmão de qualquer idade, com deficiência intelectual ou mental ou uma deficiência que o torne absoluta ou relativamente incapaz, como declaram os tribunais.

Últimas Notícias