17.1 C
São Paulo
sexta-feira, abril 19, 2024
- Publicidade -spot_img

Está desempregado? Agora é possível solicitar o seguro-desemprego online!

Leia Mais

Agora é possível solicitar o seguro-desemprego pela internet. No entanto, antes de fazer isso, você precisa conhecer as regras que regem o programa para não cometer um erro. Afinal, tanto o número de parcelas quanto os valores repassados podem variar de acordo com algumas peculiaridades de cada trabalhador.

Os valores para 2024 já foram divulgados pelo MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) com correção de 3,71% com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) para 2023. Portanto, as pessoas que fizeram pedidos em ou após 11/01 ajustarão seus depósitos pela inflação.

Agora, em geral, os cálculos são feitos com base na média salarial dos três meses anteriores à expulsão do candidato. Assim, os depósitos não podem ser inferiores ao salário mínimo vigente hoje, que é de R$ 1.412,00.

Por outro lado, aqueles que receberam mais de R$ 3.402,65 no mesmo período citado acima serão considerados R$ 2.313,74, uma atualização importante que garante uma remuneração mais equitativa para quem ficou desempregado sem justa causa.

Um aplicativo de cartão de visita digital é a plataforma que deve ser aplicada, e todo o processo pode ser iniciado no conforto de casa. Além disso, o sistema também permite que o usuário atualize seus dados, gerencie os processos de demissão e aceitação e acompanhe seus contratos. Vejamos como fica a questão dos valores recebidos.


Primeiro pedido:

  • 4 parcelas: para quem trabalhou de 12 a 23 meses nos últimos 36 meses;
  • 5 parcelas: para quem trabalhou por pelo menos 24 meses nos últimos 36 meses;

Segundo pedido:

  • 3 parcelas: para quem trabalhou de 9 a 11 meses nos últimos 36 meses;
  • 4 parcelas: para quem trabalhou de 12 a 23 meses nos últimos 36 meses;
  • 5 parcelas: para quem trabalhou por pelo menos 24 meses nos últimos 36 meses;

Terceiro pedido:

  • 3 parcelas: para quem trabalhou de 6 a 11 meses nos últimos 36 meses;
  • 4 parcelas: para quem trabalhou de 12 a 23 meses nos últimos 36 meses;
  • 5 parcelas: para quem trabalhou por pelo menos 24 meses nos últimos 36 meses;

Vale lembrar que o seguro-desemprego é destinado apenas aos trabalhadores contratados no regime CLT (Unificação do Direito do Trabalho) por um período mínimo de um ano. Além disso, também é necessário seguir algumas regras básicas. Verificar:

  1. Desligado da Companhia sem motivo;
  2. Estar desempregado no momento da inscrição;
  3. Receber pelo menos 12 salários nos últimos 18 meses (a norma é válida para a primeira aplicação);
  4. Trabalhou por pelo menos 9 meses nos últimos 12 meses quando apresentou o segundo pedido;
  5. Trabalhou com carteira assinada nos últimos 6 meses (a partir da terceira aplicação);
  6. Falta de renda própria para sustentar a si e a sua família;
  7. Falta de recebimento de benefícios previdenciários em andamento. A regra é válida, exceto para pensão por morte e auxílio-acidente.

Como solicitar o subsídio on-line

Todo o procedimento deve ser feito por meio do aplicativo Carteira de Trabalho Digital, disponível para Android e iOS. Depois disso, o trabalhador deve seguir o passo a passo indicado pelo sistema e fornecer os dados necessários preenchendo um formulário online.

Quanto aos prazos para a liberação do direito, o acesso ao fornecedor ocorre somente após a rescisão completa do contrato de prestação do serviço. Assim, o prazo para a liberação dos valores costuma ser de 30 a 45 dias, a partir do dia em que o protocolo de solicitação foi registrado no banco de dados.

Bruno Ferreira
Bruno Ferreirahttp://redebrasilnews.com.br/
Além de sua atuação nas redações, Bruno Ferreira também explorou a era digital, envolvendo-se em projetos de mídia online, podcasts e outras formas inovadoras de contar histórias. Sempre em busca de novas formas de se conectar com o público, um defensor incansável da liberdade de imprensa e da importância do jornalismo independente na sociedade contemporânea.

Últimas Notícias