19.1 C
São Paulo
quarta-feira, junho 12, 2024
- Publicidade -spot_img

Lula toma decisão que vai colocar um ponto final na luta dos entregadores e motoristas de aplicativos

Leia Mais

No Dia do Trabalhador, 1º de maio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criou um grupo de trabalho para propor a regulamentação das atividades de motoristas e entregadores por aplicativo, incluindo profissionais associados a plataformas como iFood, Uber, 99, entre outras.

O grupo será composto por 15 representantes do Governo Federal, incluindo membros do Conselho Civil e dos Ministérios da Fazenda, Trabalho e Emprego, 15 representantes dos trabalhadores por meio de sindicatos e cooperativas e 15 representantes dos empregadores por meio de associações patronais. O objetivo é que o grupo apresente uma proposta de lei normativa para regulamentar a atividade em até 150 dias.

As negociações serão coordenadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego, que tem como uma das principais pautas para a busca dos direitos básicos dos trabalhadores que atuam como entregadores por solicitação.

Hoje, essas trabalhadoras não são consideradas funcionárias das plataformas onde trabalham e, portanto, não têm acesso a benefícios básicos, como licença remunerada, plano de saúde e licença-maternidade.

Estudos de organização de motoristas e entregadores por aplicativo é resposta a manifestações

A criação do grupo é uma resposta às crescentes pressões para regular a atividade dos transportadores. Os trabalhadores realizaram greves e manifestações em várias cidades do Brasil em busca de melhores condições de trabalho.

Além disso, há uma série de movimentos internacionais para regulamentar a atividade, e mesmo no Brasil, a Justiça já reconheceu a relação de trabalho entre trabalhadores e plataformas em diversas ocasiões.

Entidades representativas dos trabalhadores saudaram a criação do Grupo de Trabalho. A regulamentação da atividade de entregadores por aplicativos é um tema complexo e controverso. Então, talvez muito deva ser dito por todas as entidades e empresas envolvidas nos próximos 150 dias.

Últimas Notícias