17.7 C
São Paulo
quinta-feira, junho 13, 2024
- Publicidade -spot_img

Sebrae vai lançar empréstimos PARA Micro e Pequenas Empresas; veja como vai funcionar

Leia Mais

Nesta semana, o Banco Central do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) autorizou a expansão de seus serviços, prestando empréstimos a empresas por meio de novas tecnologias financeiras.

De acordo com informações oficiais, o chamado Sebraecred será lançado com um capital inicial bastante alto em relação à média. Isso porque o instituto iniciará o atendimento com um total de 600 milhões de reais.

É importante ressaltar que, embora o Instituto já forneça serviços como assessorar pequenas empresas e como operador do Fundo das Pequenas e Micro Empresas, a Cyberray nunca forneceu linhas de crédito ao seu público. No entanto, com a permissão do BC, uma nova empresa de crédito direto (SCD) será lançada pelo Instituto.

O capital inicial da FinTech será maior que outras empresas

Como mencionado anteriormente, o capital inicial da fintech do Sebrae estará acima da média dos SCDs. Isso porque, como as empresas ao iniciar uma nova empresa de crédito, começam com um mínimo regulatório de R$ 1 milhão, alcançando um crescimento gradual. No entanto, o Sebraecred será lançado como capital seiscentos vezes maior.

Embora não ofereça crédito direto às empresas, o Sebrae oferece o serviço através da Fampe aos empreendedores.
Por meio do serviço, o instituto avalia empréstimos para pequenas empresas, que podem ser operados por mais de 20 instituições financeiras. Segundo dados do fundo, já foram realizadas cerca de 480 mil transações, fornecendo 25,3 bilhões de reais em crédito para pequenas empresas.O que é SCD?

Existem vários tipos de fintech no país, como crédito, pagamento, investimento e empréstimo, entre outros. No entanto, no Brasil, apenas duas empresas de crédito financiador podem ser autorizadas a mediar credores e devedores por meio eletrônico: a Associação de Crédito Demográfico (SCD) e a Empresa Inter-Beswas FinTech (SEP).

Segundo o Banco Central, a negociação pelo SCD deve ser descrita como um processo de crédito, por meio da plataforma eletrônica, com recursos próprios. Assim, o empreendimento não está autorizado a captar recursos públicos.

Uma vez que esses documentos não se limitam apenas às operações de crédito, eles também podem prestar serviços como: análise de crédito a terceiros; cobrança de crédito de terceiros; distribuição de seguros relacionados às operações concedidas por eles por meio da plataforma eletrônica e emissão de moeda eletrônica.

Deixe sua resposta

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias