25.3 C
São Paulo
domingo, abril 21, 2024
- Publicidade -spot_img

Desenrola Brasil inicia nova fase com descontos incríveis de até 96% na dívida

Leia Mais

O programa Desenrola, lançado neste ano, permitiu que milhares de brasileiros renegociassem suas dívidas e recuperassem sua saúde financeira. O programa, criado pelo governo federal, entrará em uma nova fase, beneficiando uma nova parcela da população do país.

Até agora, o programa, que visa reduzir o endividamento no país e aumentar a oferta de crédito, passou por duas etapas distintas. O primeiro deles já foi fechado e grande parte dos brasileiros foi beneficiado. A segunda ainda está em vigor. Verificar:

Fase 1 – Visa brasileiros com dívidas de até R$ 100 contraídas até 31 de dezembro de 2022. Os nomes dessas pessoas foram removidos das listas de restrição de crédito
Fase 2 – tem foco na renegociação de dívidas com instituições financeiras e é aberta a brasileiros com renda mensal de no máximo R$ 20 mil

Como vai funcionar a nova fase do Desenrola Brasil?

Agora, na fase 3, a renegociação com as empresas pode ser realizada. Esta nova fase inclui fornecedores de serviços básicos, como água, eletricidade e gás, bem como empresas multe econômicas e outras empresas.Todo o processo de renegociação deve ocorrer por meio de uma plataforma criada pelo governo federal e deve ser lançado ainda neste mês, em 9 de outubro. Por meio dele, o cidadão poderá cumprir o acordo e negociar as condições de pagamento.

O limite da dívida será de R$ 20 mil, no entanto, a prioridade serão dívidas de até R$ 5 mil. Entre as facilidades oferecidas estão descontos sobre o total de valores devidos, que podem chegar a 96%.

Além disso, o convênio pode ser parcelado em até 60 vezes. Para isso, o prêmio mínimo deve ser de R$ 50, enquanto a taxa de juros será de 1,99% ao mês.

A nova fase também visa um grupo específico de devedores. Poderão participar brasileiros com renda mensal de até dois salários mínimos. Atualmente, isso equivale a R$ 2.640. Além disso, pessoas cadastradas no CadÚnico do governo federal também se juntam ao grupo.

Últimas Notícias