21.2 C
São Paulo
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img

Lula anuncia grande promessa na comemoração dos 20 anos do Bolsa Família. Veja aqui

Leia Mais

O Bolsa Família foi fundado em 2003, durante o primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Agora, em seu terceiro mandato como presidente, ele completa o programa social de 20 anos e, com ele, o governo fez grandes promessas ao povo brasileiro.

Segundo Lula, o Bolsa Família vai ajudar mais uma vez a erradicar a fome no país e será retirado da lista do mapa da fome da Organização das Nações Unidas (ONU). Nesse sentido, o presidente explicou que o prazo para esse evento é até 2026, ou seja, até o final do mandato.

Em homenagem aos 20 anos do programa social, exemplo de política pública global, o presidente fez sua estreia após passar por uma cirurgia. O encontro, que foi realizado de forma online, contou com a presença de autoridades de vários estados. Continue lendo para saber mais.

Ministros do presidente Lula participam de reunião online do Bolsa Família 

Durante o encontro, Lula elogiou as conquistas de Wellington Diaz, ministro do Desenvolvimento, Assistência Social, Família e Combate à Fome. O Ministério da Saúde, abreviado como MDS, é responsável não só pelo Bolsa Família, mas também pelo auxílio-gás.

Nesse contexto, o programa MDS tem grande impacto na redução da pobreza, pois após a reformulação, em março, passou a considerar as características de cada domicílio para determinar o valor repassado pela Caixa Tem.

Além disso, o evento contou com a presença de Marina Silva, ministra do Meio Ambiente, Paolo Teixeira, ministro do Desenvolvimento Agrário, Família e Agricultura, e Rita Serrano, presidente da Caixa Econômica Federal (CEF).



O que mudou no Bolsa Família em 2023?

O MDS impôs muitas mudanças no programa social, desde o nome até a quantidade de dinheiro que cada pessoa pode receber. No governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), esse recurso foi chamado de Auxílio Brasil. Com a nomeação de Lola, o Bolsa Família voltou ao nome original e passou a exigir frequência escolar mínima e acompanhamento de saúde dos grupos incluídos na lista de pagamento.

Antes, todas as famílias recebiam um benefício de R$ 600. No entanto, a atualização feita em março especificou que cada membro do kernel poderia receber R$ 142. Na prática, isso significa, por exemplo, que uma família de 7 pessoas receberá R$ 994. Além disso, gestantes e pessoas entre 7 e 18 anos recebem um adicional de R$ 50, e crianças de até 6 anos têm direito a um adicional de R$ 150.

Últimas Notícias