INSS: Benefício previsto na Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) garante auxílio de R$ 1,2 mil que pode ser ampliado em 2022


Um projeto de lei apresentado na Câmara dos Deputados pode ampliar o bem público para o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O auxílio pago pelo Instituto Nacional do Seguro Social está previsto na Lei Básica de Assistência Social, que provavelmente mudará.


O BPC atende idosos com mais de 65 anos e pessoas com deficiência de qualquer idade, provenientes de famílias de baixa renda. A parcela mensal tem um salário mínimo (R$ 1.212), e o programa não exige nenhuma contribuição para a previdência social.


Mudanças nos padrões


O Projeto de Lei 4161/21, já aprovado pela Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, altera o rendimento máximo necessário para se inscrever no BPC. O valor atual é de 1/4 de salário mínimo (R$303) por pessoa, mas pode aumentar para 3/4 do salário mínimo (R$909) por pessoa.


Além disso, o texto também exclui benefícios da Previdência Social ou outro BPC de uma conta de renda familiar que soma dois salários mínimos.


A proposta está sendo finalizada na Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e não foi transferida desde então. Se isso for aprovado, pense em milhões de famílias.


Inscreva-se no BPC


Os interessados em receber o auxílio do INSS devem procurar o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo para se cadastrar no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico). Os aprovados são selecionados com base nas informações deste sistema.


O benefício é pessoal, intransferível e vitalício. No entanto, não gera 13º salário ou pensão por morte, pois é previdência social e não previdenciária.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem