Preços da gasolina e do dieselvai cair após a privatização da Petrobras? Veja aqui

Imagem: Reprodução/Google

Recentemente, uma proposta de privatização da Petrobras, anunciada pelo novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, reacendeu as discussões sobre combustíveis, levantando a seguinte questão: Os preços da gasolina e do diesel cairão se a estatal for privatizada?


De acordo com especialistas, a resposta é não! Isso porque, para estabelecer ajustes, são considerados alguns critérios, tais como: flutuação do preço do petróleo, margens de refino e taxas de câmbio. Portanto, não há relação direta com os preços dos combustíveis e com a privatização da Petrobras.


O que a venda do Estado pode gerar é um aumento da concorrência nos segmentos de refino e distribuição de derivados, com a entrada de novos agentes.


Por que os preços dos combustíveis não caem se a Petrobras é privatizada?

Como mencionado anteriormente, as flutuações dos preços do petróleo no mercado internacional, bem como as flutuações no refino e na margem cambial são as principais responsáveis pelos ajustes de combustível. Todos eles, segundo especialistas, não têm relação direta entre a privatização da Petrobras e o aumento da gasolina e do diesel, por exemplo.


De certa forma, os preços dos combustíveis derivados do petróleo seguem os preços internacionais. Isso significa que eles usam como referência os preços dos produtos do mercado global, que operam em dólares.


O que também pesa sobre o aumento de preços são as atividades de distribuição e revenda, o aumento dos biocombustíveis (etanol anidro) além, é claro, dos impostos. Assim, para especialistas, a privatização da própria Petrobras não seria capaz de garantir uma queda nos preços dos combustíveis.


Resumindo: assim como soja e minério de ferro, por exemplo, que são commodities, os combustíveis também marcham de acordo com os preços praticados no mercado internacional.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem