Novo benefício do Governo Federal: pessoas deste grupo podem receber.

Imagem: Reprodução/Google

O Governo Federal é o grande responsável por inovar em relação aos benefícios concedidos aos brasileiros, como auxílio emergencial, Ajuda ao Brasil, auxílio gás e muitos outros.


Cada um desses auxílios, no entanto, tem um objetivo diferente, embora todos busquem beneficiar indivíduos e famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza, com renda mensal inferior a um salário mínimo.


Além desses benefícios existentes, outro benefício do Governo Federal foi anunciado recentemente, concedido pelo Ministério da Cidadania com o objetivo de beneficiar gestantes. Continue lendo e fique por dentro da nova ajuda e do seu funcionamento.


O Novo Auxílio

O novo auxílio, que é chamado de Benefício de Composição Gestante, BCG, fará parte do Auxílio Brasil e tem como principal objetivo aumentar a proteção à mãe e ao bebê durante o período gestacional, que é o período em que a mulher mais precisa de ajuda.


O valor do auxílio será de R$ 65 por gestante em família e será pago durante os nove meses, sem levar em conta a fase de gravidez em que a mulher se enquadra.


Como é que isso vai funcionar?

Para receber o benefício, como em outros programas, a família deve estar matriculada no CadÚnico e não estar recebendo uma renda superior a R$ 200. Além disso, se a família tiver mais de uma gestante, poderá receber mais de um benefício.


Cada gestante, no entanto, só recebe BCG uma vez, podendo receber após um período de 12 meses após a concessão do último benefício. O registro, no entanto, não será possível se o serviço for realizado após a data provável de parto, e a contagem será feita até 42 semanas após a última menstruação.


O Ministério da Saúde e o Ministério da Cidadania trabalharão juntos na operação para identificar quem terá direito ou não ao benefício.


O Ministério da Saúde, de acordo com a norma, é responsável pelo repasse de dinheiro para o Ministério da Cidadania, que, por sua vez, é responsável pelas gestantes, que serão localizadas pelos Serviços de Saúde do Sistema Único de Saúde, ou pelo acompanhamento rotineiro do pré-natal.


O SUS terá um papel importante na localização dessas mulheres e será responsável por informar, por dois mandatos por ano, os dados sobre monitoramento e condicionalidade de saúde. Além disso, o Ministério da Cidadania, de acordo com a folha de pagamento do Brasil Aid e do CadÚnico, selecionará o público por meio da validade desses programas.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem