Estudo publicado na revista Nature revela o que acontece com os olhos após a morte.

Imagem: Reprodução/Google


O que acontece com os olhos após a morte? Um estudo publicado na revista Nature levantou as primeiras evidências científicas em torno de uma possível atividade da retina nessa circunstância. Para chegar a isso, cientistas da Universidade de Utah (EUA) mediram a atividade em células retinárias de camundongos e humanos.


Depois de entender como as células nervosas reagem à falta de oxigênio, os cientistas fizeram alguns ajustes teciduais, revivendo a capacidade da célula de se comunicar. O artigo descreve que, quando estimuladas pela luz, as retinas post mortem emitem sinais elétricos específicos, conhecidos como ondas b.


Essas ondas também estão presentes em retinas vivas e indicam comunicação entre todas as camadas de células que nos permitem ver. No entanto, como dizem os cientistas, é a
primeira vez que os olhos de doadores humanos falecidos respondem à luz desta forma, o que desencadeou perguntas sobre a natureza irreversível da morte no sistema nervoso central.


Descobrir como os tecidos do sistema nervoso lidam com a perda de oxigênio é importante para a comunidade científica porque pode permitir que ele recupere as funções cerebrais perdidas no futuro. Neste experimento mais recente, os pesquisadores foram capazes de obter células da retina para se comunicar da mesma forma que no olho de uma pessoa viva.



Cientistas descobrem o que acontece com os olhos após a morte (Imagem: Wirestock/Freepik)


"Nossa restauração da onda B neste estudo levanta a questão de saber se a morte cerebral, como está atualmente definida, é realmente irreversível", aponta o estudo. Isso significa que se os fotorreceptores (receptores sensoriais responsáveis pela visão) podem ser revividos, há esperança para transplantes futuros que podem ajudar a restaurar a visão.


Hoje, a ciência e a tecnologia estão trabalhando juntas para encontrar uma maneira eficaz de devolver a visão às pessoas. Em fevereiro, um grupo de Stanford (EUA) desenvolveu óculos especiais capazes de restaurar parte da capacidade visual de pacientes com degeneração macular.


Em março, um estudo publicado na revista científica BME Frontiers apontou uma técnica baseada em ultrassom capaz de ativar certos circuitos neurais conectados ao cérebro e retornar a visão a um paciente com doença degenerativa da retina.


Por sua vez, o Moorfields Eye Hospital (Reino Unido) criou um chip que, quando inserido sob a retina, conseguiu fazer um paciente ver novamente. Essas melhorias podem alavancar ainda mais com essas novas descobertas sobre o que acontece aos olhos após a morte.


Fonte: Nature, Science Alert

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem