Projeto de lei 673/2022 quer tornar obrigatório sensor de ponto cego em carros; Veja.

Imagem: Reprodução/Google

O sensor de ponto cego ou alerta de ponto cego, é um dispositivo de segurança que existe em alguns modelos de carros, como Chevrolet Onix e Renault Duster, por exemplo.


Nos modelos de marca de luxo, o recurso é mais comum, adicionando funções adicionais como ajuste de direção, redução de velocidade e até alerta de aproximação do veículo com o carro estacionado.


No entanto, o sensor de ponto cego não é obrigatório, mas o Projeto de Lei 673/2022 quer mudar isso.


Já em tramitação no congresso, o PL 673/2022 torna obrigatório o sensor de colisão lateral - alerta de ponto cego - em veículos vendidos no país.


De autoria da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), o texto requer a instalação do dispositivo na forma de sensores com alerta sonoro.


Eliziane justifica que "a medida contribuirá para a redução dos acidentes de trânsito e não terá impactos significativos nos preços dos carros".


Instalados nas laterais do veículo, geralmente em para-choques, os sensores detectam a aproximação de objetos e/ou veículos nas proximidades do carro, cobrindo áreas não vistas pelos retrovisores.


Tais sensores são até usados na função de estacionamento, assim como no alerta de tráfego traseiro, que detecta a aproximação de um carro durante manobras de estacionamento perpendiculares ou de 45 graus.


Neste caso, eles ainda acionam a frenagem automática, dependendo da make e modelo do veículo. Algumas marcas, no entanto, usam recursos diferentes para cobrir o ponto cego, geralmente maior no lado direito.


Este é o caso do Relógio lane da Honda, que usa uma câmera para ver o lado direito do carro quando você gira o pisca-pisca para o mesmo lado ou ativa a função na haste do farol.


O PL 673/2022 será analisado por várias comissões do Senado e, em seguida, será votado no plenário da Casa. Se aprovado, impactará nos preços dos modelos mais baratos.


Fonte: Agência Senado]


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem