Parcela extra do Auxílio Emergencial cai na conta de milhares de brasileiros; Veja

Imagem: Reprodução/Google

No início de 2020, pais chefes de famílias monoparentais foram impedidos de receber o Auxílio Emergencial em dobro por um veto do presidente Jair Bolsonaro. Já as mães que estavam na mesma situação de cuidar dos filhos sozinhas tiveram acesso às parcelas de R$ 1.200.


O veto foi derrubado em 2021 por decisão do Congresso Nacional, abrindo caminho para a liberação dos valores retroativos. Agora, o Ministério da Cidadania confirmou o repasse de R$ 2,8 bilhões para tornar a situação mais justa para esses homens.


Um novo lote com valores de R$ 600 até R$ 3 mil foi depositado no dia 13 de janeiro para cerca de 823 mil pais solteiros. Essa parcela atrasada é referente aos cinco primeiros depósitos do auxílio emergencial.


O montante do repasse depende de quando o homem foi aprovado no programa. Se estava recebendo desde o primeiro mês, tem direito a cinco parcelas de R$ 600. Caso tenha sido incluído no segundo mês, recebe quatro parcelas de R$ 600, e assim sucessivamente.


Quem pode sacar o retroativo?

A Caixa Econômica Federal confirmou o pagamento da parcela única para mais de 823 mil pais solteiros. Quem recebeu está dentro dos seguintes critérios:


  • Não ter companheira(o) ou cônjuge;
  • Ter pelo menos um filho menor de idade; e
  • Ter recebido as parcelas do auxílio emergencial em 2020.

Para consultar o benefício, acesse o site da Dataprev, informe os dados pessoais solicitados e leia as informações na tela. O dinheiro pode ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que também oferece a opção de saque com código.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem