Atenção! Câmara dos deputados aprovou criação do Auxílio Gás para famílias vulneráveis; Veja detalhes

Imagem: Reprodução/Google

Durante sessão realizada esta semana, a Câmara dos Deputados aprovou a criação de um novo programa social, o Gas Aid. Destinado a famílias de baixa renda, o benefício visa garantir a segurança alimentar, adquirindo os principais meios para colocar em prática as refeições caseiras. 


A intenção é oferecer um Auxílio a Gás que equivale a pelo menos 50% do valor do cilindro de gás de cozinha de 13 kg.


As negociações no escopo devem seguir as ações que já foram implementadas por alguns governos estaduais e municipais, que se referem ao pagamento bimest mensal do benefício, entre outros pontos que ainda devem ser resolvidos.


Estima-se que a iniciativa tenha um investimento anual na margem de R$ 6 bilhões. Mas para fazer parte do programa, as famílias devem atender a alguns critérios básicos, como estar inscrita no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal.


E apresentar renda per capita mínima de até meio salário mínimo, ou renda familiar de até três salários mínimos. 


As famílias que, em sua composição, dependem do Benefício de Prestação Continuada (BPC) também terão direito ao Auxílio-Gás. Agora, o Governo Federal tem 60 dias após a publicação da lei para regulamentar alguns detalhes essenciais do programa.


Como: quais famílias terão direito ao benefício e a frequência em que os pagamentos serão feitos. 


Já se sabe que, antes da lei, o depósito entre uma parcela e outra não pode exceder o prazo de 60 dias. O Auxílio Gás será concedido no modelo de crédito, ou seja, através de um cartão eletrônico ou outros meios similares cujo crédito só pode ser utilizado para a compra de gás de cozinha. Além disso, a aquisição deve ser feita em estabelecimentos credenciados.


O valor destinado ao apoio da população de baixa renda será reajustado anualmente com base na inflação do IGP-M. Conforme previsto no projeto, as fontes de financiamento do Auxílio ao Gás devem vir da cobrança da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e comercialização de petróleo e derivados (Cide-combustíveis)


A parcela dos royalties e a participação especial da exploração de petróleo e gás natural que caem na União também devem ser direcionadas ao investimento do programa social. 


É importante ressaltar que a Lei do Auxílio ao Gás teve uma emenda aceita pelo relator, deputado Christino Aureo (PP-RJ), que visa priorizar mulheres vítimas de violência doméstica e sob o monitoramento de medidas protetivas de urgência, devidamente inscritas no CadÚnico.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem