Novo Bolsa Família: Governo Federal tem novo plano que poderá aumentar valores; Veja.

Imagem: Reprodução/Google

O Governo Federal continua garantindo que poderá aumentar a bolsa a partir de novembro do próximo ano. No entanto, na prática, a verdade é que eles ainda não foram capazes de encontrar uma maneira de fazer isso. É que todas as ideias estão esbarrando no teto de gastos públicos.


Diante dessa situação, o Governo passou a dizer que uma solução seria dividir os precatórios. São, portanto, dívidas com a justiça que não estão mais sujeitas a recurso.
A ideia do ministro da Economia, Paulo Guedes, é conseguir a liberação desse parcelamento dessas despesas. Assim, haveria espaço para o aumento do Bolsa Família dentro do teto de gastos


Plano A

O plano inicial do governo era enviar uma PEC ao Congresso Nacional. Este documento está tramitando na Câmara dos Deputados. O texto permite ao Planalto parcelar os precatórios. Para isso, no entanto, os parlamentares das duas casas precisam aprovar essa ideia. De acordo com informações de bastidores, esta não é uma tarefa fácil.


Plano B

O segundo plano é conseguir ajuda do Supremo Tribunal Federal (STF). A ideia é convencer os ministros do STF a liberar essas parcelas por meio de acordos. Assim, o Governo não precisaria mais do Congresso para aprovar a PEC dos precatórios. Este, no entanto, também não tem sido um caminho fácil.


Plano C

Uma terceira possibilidade vem de uma ideia do vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM). Segundo ele, o governo precisa pedir ao Congresso autorização para retirar os precatórios da regra do teto de gastos. Assim, pagariam essas dívidas com a justiça do lado de fora, e ainda haveria espaço dentro desse limite de gastos para pagar o aumento do Bolsa Família. Alguns dizem, no entanto, que isso também seria um crime de responsabilidade fiscal.


Novo Bolsa Família

A ideia do Governo Federal é iniciar os pagamentos do novo Bolsa Família a partir do próximo mês de novembro. Além disso, eles também estão deixando claro que querem aumentar o tamanho do projeto.


Hoje, segundo o Ministério da Cidadania, o benefício abriga cerca de 14,6 milhões de brasileiros. De acordo com informações de bastidores, o Palácio do Planalto pretende elevar isso para algo como 17 milhões de pessoas.


O plano também é aumentar o valor médio dos pagamentos. Hoje, ainda de acordo com o Ministério da Cidadania, o nível médio de repasses é de R$ 189. A tendência é que essa linha suba para R$ 300 já a partir de novembro.


E se não houver aumento

De acordo com relatos da mídia, o governo ensaia o discurso caso tudo isso não dê certo. Neste caso, a ideia é colocar a culpa no próprio Supremo Tribunal Federal. Por conseguinte, dirão que foram os ministros de lá que não quiseram chegar a um acordo.


Pesa aqui precisamente que o plano B do governo não funciona. É que eles diriam que o STF não queria fazer um acordo sobre os precatórios. E então eles não foram capazes de aplicar o aumento do Bolsa Família.


Na segunda-feira (13), o líder do Governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (Progressistas-PR) chegou a ensaiar esse discurso. "Se um acordo não for alcançado, mais uma vez é o Supremo interferindo na vida do país, tomando espaço da Ajuda Brasil, tomando espaço dos investimentos em infraestrutura com suas decisões", disse em entrevista.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem