INSS anuncia novas regras que podem bloquear benefícios; entenda.

Imagem: Reprodução/Google


O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) fez um anúncio importante, recentemente. O órgão divulgou como será feita a revisão dos benefícios por incapacidade temporária.


Os beneficiários que precisam passar pela análise junto ao INSS já começaram a ser convocados. O aviso foi emitido por carta e aviso de recebimento digital, segundo os dados cadastrais de cada uma.


As regras atualizadas tratam do agendamento e da remarcação de exame de perícia médica. Também podem tratar da suspensão ou cancelamento do pagamento, além de casos excepcionais.


Logo após receber o aviso, o segurado tem 30 dias para agendar a avaliação médica. Basta entrar no site www.meu.inss.gov.br. O instituto espera que quase 170 mil benefícios sejam revistos dessa maneira.


As novas regras foram publicadas no Diário Oficial da União da última segunda-feira (9). Caso o cidadão não tenha como comparecer no dia agendado, será permitida apenas uma remarcação. Essa remarcação deverá ficar comprovadamente justificada pelo segurado.


Contudo, a agência do INSS poderá remarcar o dia do exame de acordo com imprevistos técnicos. O resultado da perícia deverá ser liberado ainda no mesmo dia do exame. Sendo que a consulta poderá ser realizada pela central de atendimento (tel: 135) ou pelo site do INSS.


Confira quais doenças possibilitam aposentadoria por incapacidade permanente


– Tuberculose ativa;


– Hanseníase;


– Alienação mental;


– Esclerose múltipla;


– Hepatopatia grave;


– Neoplasia maligna;


– Cegueira;


– Paralisia irreversível e incapacitante;


– Cardiopatia grave;


– Doença de Parkinson;


– Espondiloartrose anquilosante;


– Nefropatia grave, estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante);


– Síndrome da deficiência imunológica adquirida (AIDS/HIV);


– Contaminação por radiação, com base em conclusão da medicina especializada.


Vale destacar que a lista não é definitiva. Pode haver casos que não estão explícitos nela que deem condição de incapacidade ao trabalhador.


Em todas as situações, um perito do INSS precisa constatar a situação do contribuinte. Só assim é possível garantir a liberação de afastamento e aposentadoria.


O cidadão poderá recorrer à aposentadoria por invalidez junto ao INSS, solicitando a perícia. Contudo, se for o caso, também é possível acionar a Justiça. Todas as informações podem ser consultadas junto ao portal: meu.inss.gov.br.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem