FGTS: Veja como realizar o saque do saldo disponível em contas inativas.

Imagem: Reprodução/Google

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma espécie de reserva financeira para o trabalhador com carteira assinada. Para isso, o empregador deverá depositar um valor equivalente a 8% do salário vinculado ao contrato do titular.


No entanto, o saque desses recursos depende da situação encontrada no momento em que é solicitada. Isso porque, por lei, o FGTS só pode autorizar o total das contas do fundo em casos específicos.


Quando o saque do FGTS pode ser realizado?


O trabalhador só poderá resgatar o FGTS com a comprovação dos seguintes casos:


  • Demissão sem justa causa;
  • Rescisão por acordo entre empregador e empregado;
  • Ao fechar a empresa: voucher em caso de extinção parcial ou total da empresa ou estabelecimento;
  • Rescisão por falta mútua (empregador e empregado) ou força maior (se a empresa for atingida por um incêndio ou inundação, por exemplo);
  • Rescisão do contrato;
  • Se um único trabalhador empregado através de uma entidade de classe for suspenso por um período de 90 dias ou mais;
  • Morte do trabalhador;
  • Aposentadoria;
  • Estado de emergência ou estado de calamidade pública;
  • Doenças graves;
  • Funcionários que passam três anos seguidos ou mais sem trabalhar com carteira assinada;
  • Aquisição de imóveis, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte dos benefícios de financiamento habitacional.

Quanto à liberação do FGTS por doença grave, a possibilidade é tanto para o trabalhador quanto para seu dependente comprovado judicialmente, sendo o cônjuge ou companheiro, filho ou enteado menor de 21 anos, por exemplo.


Para fins de comprovação de dependência, será necessário apresentar a documentação solicitada. Normalmente, a Caixa exige Certidão de Casamento, Escritura Pública de Declaração de União Estável realizada em cartório, Comprovante de Coabitação, Certidão de Nascimento da Criança, entre outros.


Doenças graves que permitem o saque do FGTS

De acordo com a Lei nº 8.036, há três casos de doenças que podem permitir a recuperação total do FGTS. São eles: câncer, vírus HIV e estágio terminal devido a doenças graves. Neste último caso, pode-se destacar esclerose múltipla, distrofia muscular progressiva, paralisia irreversível, entre outros.


Além dessas situações da doença, o saldo disponível no Fundo de Garantia pode ser utilizado por pessoas (trabalhadores e dependentes) que necessitam:


  • Transplantes de órgãos vitais;
  • Próteses ortopédicas;
  • Cadeira de rodas;
  • Cirurgias para preservação ou recuperação de visão ou audição;
  • Compra de aparelho auditivo.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem