Programa Bolsa Família reformado vai ter reajuste de R$ 300 aos beneficiados; Confira!

Imagem:Google

Governo federal anuncia modificações no Bolsa Família. Mesmo com a concessão do auxílio emergencial, o ministério da cidadania está trabalhando para reformular seu principal projeto social. Segundo a agenda pública, a reforma deve ocorrer a partir do mês de agosto, reajustando as parcelas dos beneficiários para R$ 300.


O novo Bolsa Família tem sido assunto em toda a imprensa nacional. De acordo com os últimos informes concedidos pelo presidente Jair Bolsonaro, a mensalidade do projeto deve aumentar para R$ 300.


Além disso haverá uma ampliação na faixa mínima de entrada para R$ 100 e digitalização do cadastro.


Conheça o novo Bolsa Família

A ideia de readaptar o Bolsa Família vem sendo debatida desde 2020, quando o atual governo tentou implementar o programa Renda Brasil e Renda Cidadã. Ambas as propostas, no entanto, não foram aplicadas sob a justificativa de falta de orçamento mediante o atual contexto da pandemia do novo coronavírus.


Suspensa a criação de novos projetos, o governo passou a estudar a possibilidade de reformular o atual Bolsa Família. A proposta foi divulgada por Bolsonaro que alegou estar implementando uma série de mudanças entre agosto e setembro deste ano.


Para o novo Bolsa Família o governo prevê a consolidação de:


  • Valor do auxílio-creche mensal para cada criança seria de R$ 52,00
  • Bônus anual para o melhor aluno de R$ 200,00
  • Bolsa mensal de R$ 100,00, mais um prêmio anual de estudante científico e técnico de destaque de R$ 1.000,00
  • Renovação nas regras de entrada e saída do programa
  • Atualização nos critérios mínimos de renda para inclusão no projeto

Digitalização dos cadastros

Outra grande novidade informada por Bolsonaro foi a digitalização do processo de candidatura. A população que tiver interesse em se cadastrar no projeto deixará de recorrer aos centros de atendimento sociais de suas cidades, para fazer o auto registro por meio de um aplicativo.


A ferramenta já está sendo elaborada pelo ministério da cidadania e deve ser implementada ao longo do segundo semestre. A ideia é que a população passe a preencher um formulário digital, informando os dados de identificação pessoal e demais comprovantes de renda e residência.


Documentos necessários para cadastro Bolsa Família 2021:


  • Certidão de nascimento
  • Carteira de identidade
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF)
  • Carteira de Trabalho
  • Título de eleitor
  • Comprovante de residência
  • Para os dependentes: certidão de nascimento e RG


Após envio, a solicitação passará pela análise da Dataprev e Ministério da Cidadania para validação dentro das regras de inclusão do projeto.