Grávida pode comer pimenta? Veja os mitos e verdades sobre o fruto na gestação.

Imagem: Dicas de Mãe

Ter desejos na gravidez é algo muito comum. Aliás, quem nunca teve aquela vontade de comer alguma coisa específica várias vezes? Entre esses desejos, é muito corriqueiro que a mulher sinta vontade de comer alimentos fortes e apimentados. No entanto, existem alguns mitos e verdades sobre o assunto, afinal, grávida pode comer pimenta ou não?


Segundo especialistas, a pimenta não faz mal para a formação do bebê, muito menos provoca abortos, no entanto, ela é responsável por mudar o pH do estômago e isso pode causar consequências ruins para a mulher como, por exemplo, refluxo, azia e intestino lento.


Porém, existem alguns casos em que a grávida pode comer pimenta sem ter nenhum desses sintomas. É importante estar atenta aos sinais do seu organismo. Além disso, a quantidade e forma da ingestão também é um fator de peso na hora de consumir o fruto durante a gestação.


Grávida pode comer pimenta?


Como dito anteriormente, o consumo da pimenta durante a gestação, não apresenta riscos para o feto nem para a grávida. Portanto, sim, a grávida pode comer pimenta.


No entanto, é importante ressaltar que se a grávida sofre com problemas como, por exemplo, azia e refluxo, a ingestão de alimentos apimentados não é recomendada, pois podem piorar e agravar esses sintomas.


Além disso, se a gestante tinha hemorroidas antes de engravidar, não é recomendado a pimenta na alimentação.


Por fim, lembre-se que alguns tipos de pimentas são extremamente irritantes para a mucosa intestinal da gestante, como por exemplo a pimenta do reino e as condimentadas.Como consumir alimentos apimentados com segurança


Para as mulheres que desejam consumir pimenta na gravidez, é recomendado o consumo equilibrado do fruto, aliás, todo exagero causa prejuízos.


Além disso, é ideal prestar atenção nos rótulos antes de comprar. Opte por marcas de confiança e prefira alimentos preparados em casa.


Por fim, já que a grávida pode comer pimenta, conclui-se que outros alimentos picantes ou especiarias, como pimentão, caril, piri-piri ou picles, por exemplo, também podem ser incluídos na alimentação sem medo.