Beneficiários do novo Bolsa Família vai receber valores maior nas parcelas do que Auxílio Emergencial, diz jornal.

Imagem: Reprodução/Google

O Governo Federal continua a definir os últimos detalhes para o lançamento do novo Bolsa Família. Como o ar ainda é muito misterioso, a imprensa está tentando descobrir novas informações sobre o projeto. Uma grande curiosidade neste momento, por exemplo, gira em torno do valor do novo benefício.


Segundo informações do Correio Braziliense, o novo Bolsa Família teria valores acima da média do novo Auxílio Emergencial. Pelo menos esse é o desejo do presidente Jair Bolsonaro. Em discurso recente, ele disse que o novo patamar de pagamentos do Bolsa Família será de R$ 250.


Até lá, não seria uma grande diferença. É que segundo informações do Ministério da Cidadania, o auxílio emergencial está pagando valores que variam entre R$ 150 e R$ 375. Assim, se o novo Bolsa Família pagará parcelas médias de R$ 250, estaria dentro do nível atual.


No entanto, nas últimas semanas, o próprio Bolsonaro vem pedindo à equipe econômica que ele mova esses valores para um nível mais alto. Algo em R$ 300. Seria, portanto, um valor ainda menor do que o auxílio de R$ 375, mas superior à média dos pagamentos de benefícios emergenciais.


O Ministério da Economia ainda não confirmou essa informação.

Durante evento do setor de serviços na última terça-feira (8), o ministro Paulo Guedes evitou falar sobre valores tanto a prorrogação do auxílio emergencial quanto o novo Bolsa Família


Número de beneficiários

O que não vai aumentar mesmo é a quantidade de beneficiários de um programa para outro. Ainda de acordo com o Ministério da Cidadania, o Governo está pagando ajuda emergencial a cerca de 39,1 milhões de pessoas neste momento.


O Bolsa Família, em condições normais, costuma pagar suas parcelas a cerca de 14 milhões de brasileiros. Esse número deve até aumentar, mas não ao nível do atual Auxílio de Emergência. Em uma projeção mais otimista, o Governo espera atender no máximo 27 milhões de cidadãos.


Assim, a ordem dentro do Palácio do Planalto é aumentar os valores e a quantidade de beneficiários do Bolsa Família. No entanto, em comparação com o Auxílio emergencial, apenas o tamanho da quantidade ficaria maior. A quantidade de beneficiários certamente cairá.


Além do Bolsa Família

Uma pesquisa recente da Universidade de São Paulo (USP) mostrou que o Brasil tem hoje cerca de 61 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza. Isso significa dizer que esses cidadãos estão precisando de alguma ajuda do Governo Federal neste momento.


Se o novo Bolsa Família chegar na casa de 27 milhões de brasileiros, isso significará que o programa só vai atender menos da metade da parcela da população que realmente precisa dessa ajuda. Assim, parte da oposição está começando a pressionar para que o Governo aumente o escopo do novo benefício.


No entanto, o fato é que o novo Bolsa Família nem sequer tem data de lançamento. De acordo com informações do ministro Paulo Guedes, o projeto deve entrar em cena após o término do auxílio emergencial. No entanto, ele ainda não pode pregar quando ele realmente vai acontecer