4ª parcela do auxílio emergencial será antecipada? Veja!

Imagem: Reprodução/Google


O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou na última terça-feira (15), que o banco irá antecipar a 4ª parcela do auxílio emergencial 2021. Nesta semana o calendário da 3ª parcela foi antecipada. A antecipação da 4ª parcela do auxílio emergencial 2021 deve acontecer assim como ocorreu com as outras três. Porém, as novas datas serão anunciadas daqui a algumas semanas, confirmou Guimarães.


O atual calendário prevê que os depósitos iniciem a partir do dia 23 de julho. Com isso, os pagamentos se estenderão até o dia 22 de agosto. Os saques estão previstos para acontecer entre os dias 13 de agosto a 10 de setembro.


Guimarães afirmou que as antecipações dos calendários do auxílio emergencial 2021 têm como objetivo acelerar os pagamentos e diminuir as aglomerações. Por esse motivo, é possível que a 4ª parcela também seja antecipada.Antecipação da 3ª parcela do auxílio emergencial 2021


Na última segunda-feira (14), a Caixa anunciou a antecipação do calendário de pagamento da 3ª parcela do auxílio emergencial 2021. Com isso, o valor será depositado no mês de junho, entre os dias18 e 30. A antecipação é para os depósitos na conta Poupança Social Digital. Com isso, os beneficiários podem movimentar o valor pelo aplicativo Caixa TEM.


O app permite fazer compras e pagamentos usando o cartão de débito virtual. Além disso, é possível fazer transferências bancárias.Os saques também serão antecipados. Com isso, todos os beneficiários poderão ter acesso ao valor no mês de junho. De acordo com o calendário divulgado pela Caixa, os beneficiários irão sacar a 3ª parcela entre os dias 1º e 19 de julho.


Calendário de depósito da 3ª parcela do auxílio emergencial 2021



Prorrogação do auxílio emergencial 2021

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o pagamento do auxílio emergencial 2021 será estendido por dois ou três meses. Dessa maneira, não se sabe exatamente quantas parcelas extras serão pagas.


Além disso, Guedes não explicou se haverá alguma alteração no valor das parcelas. Atualmente, o benefício paga parcelas de valor variável, conforme a composição familiar. Dessa maneira, as pessoas contempladas que moram sozinhas estão recebendo R$ 150.


As famílias compostas por dois ou mais membros recebem R$ 250, sendo essa a média paga no programa. Por fim, as mães chefes de família monoparentais recebem o maior valor, de R$ 375. As parcelas não são cumulativas e, portanto, apenas um membro pode receber.


O ministro afirmou que a ideia é que o auxílio seja pago até o fim da vacinação contra a Covid-19. Porém, a estimativa é que a aplicação da primeira dose seja concluída até o mês de outubro, mas depende do recebimento das vacinas compradas.


Nesse contexto, as quatro parcelas que chegariam ao fim no mês que vem deve se estender por mais três meses. Porém, o governo ainda não tem uma data definida para a conclusão do Plano Nacional de Imunização (PNI).


Após o fim do auxílio emergencial o projeto do governo é começar a pagar o Novo Bolsa Família. Esse terá a média de pagamento ampliada para R$ 300 e o número de beneficiários para 18,6 milhões.


Atualmente, o programa paga, em média, R$ 192. O valor é variável, pois depende da composição familiar. Além disso, beneficia 14,6 milhões de famílias em situação de pobreza e pobreza extrema.