Programa social Bolsa do Povo poderá pagar até R$ 500; Saiba mais

Imagem: Reprodução/Google


O Governador de São Paulo, João Dória, assinou um documento que cria o programa social Bolsa do Povo, projeto mais robusto já anunciado pelo estado para atender a população em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A Lei 17.372/2021, sancionada nesta quinta-feira, 27, unifica diversos benefícios, ações e projetos sociais.


O benefício deve atender a mais de 500 mil cidadãos de forma direta ou indireta, nos 645 municípios paulistas. A Bolsa do Povo será administrada pela Secretaria de Governo, e os valores podem chegar até R$ 500.


A previsão de recursos destinados a essa iniciativo somente em neste ano é de R$ 1 bilhão, incluindo as verbas de programas sociais já existentes.


Sobre o Bolsa do Povo

O benefício vai reunir os seguintes projetos: Bolsa Trabalho, Bolsa Auxílio – Via Rápida, Bolsa Talento Esportivo, Bolsa Aluguel Social, Bolsa Renda Cidadã, Ação Jovem e contratação de agentes de apoio.

Veja onde os valores serão aplicados:


  • Contratação de 20 mil pais e mães de alunos de escolas públicas para atuação no sistema de ensino estadual (salário de R$ 500,00 e jornada de quatro horas diárias);
  • Aumento do valor do Renda Cidadã de R$ 80 para R$ 100 e inclusão de novos beneficiários;
  • Concessão de bolsas de incentivo para atletas;
  • Ampliação do Ação Jovem, voltado para jovens de famílias com renda de até meio salário mínimo per capita;
  • Criação do Aluguel Social, subsídio para locação de imóveis.

Com as mudanças sancionadas na lei, o programa Bolsa Trabalho agora vai pagar até R$ 1.100 por mês para que os participantes trabalhem entre 4 a 8 horas por dia, cinco dias por semana. O texto também prevê que mulheres vítimas de violência doméstica ou mães chefes de família tenham prioridade na concessão de benefícios sociais.