Pente fino do INSS: Confira quando seu benefício está em risco de corte

Imagem: Reprodução/Google

O orçamento da Previdência Foi cortado este ano. Por essa razão, será necessário fazer cortes nos benefícios dos segurados. Dessa forma, será realizado o PENTE FINO do INSS, a fim de cortar despesas.


Para conseguir a aprovação do Orçamento Geral da União para 2021, o governo teve que fazer reduções nos recursos destinados a diversos ministérios. Com isso, será necessário alcançar uma redução de R$ 2,5 bilhões.


Segundo o Ministério da Economia, a maior parte, cerca de R$ 1,9 bilhão, será obtida pelo Pente-fino do INSS. Esse processo ocorre por meio de um programa desenvolvido pelo Instituto Nacional do Seguro Social.


Com isso, são verificados os benefícios que mostram indícios de irregularidade. Esse procedimento já é feito pela agência continuamente em aposentadorias e pensões.


No entanto, para chegar a quase R$ 2 bilhões, o Instituto pretende somar o Pente Fino do INSS para auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. Estes dois serão analisados com o Programa de Revisão do Benefício por Incapacidade


Isso também funciona como pente fino do INSS, no entanto, é específico para benefícios envolvendo perícia médica. A expectativa é que R$ 591 milhões sejam economizados.


Pente-fino do INSS

Esse procedimento é feito pelo Escritório onde há indícios de irregularidade nos pagamentos. Com isso, aposentados e pensionistas são informados de que seu benefício está em análise.


Dessa forma, o pente fino pode levar ao bloqueio ou cancelamento do benefício. No entanto, a agência entra em contato com o envio de documentação que garante o direito ao pagamento.


Portanto, é necessário que o segurado mantenha os dados atualizados, especialmente aqueles que servem para o órgão entrar em contato, como endereço e números de contato.


O INSS pode enviar uma carta ou e-mail. Após a notificação, o segurado tem até 60 dias para apresentar os documentos solicitados, que podem ser:



  • Documentos pessoais;
  • Comprovante de endereço e residência;
  • E-mail;
  • Números de telefone;
  • Documentação complementar relacionada ao caso específico de cada benefício.

Aposentados e pensionistas que são convocados para apresentar qualquer um dos documentos. Dessa forma, a submissão pode ser feita de três formas: site meu INSS, aplicativo Meu INSS ou pessoalmente. Aqueles que optarem pelo transporte remoto devem seguir as seguintes etapas:


  • Acesse o site ou aplicativo do Meu INSS;
  • Escolha o serviço "Atualização de Dados de Benefícios";
  • Anexar os documentos do titular, advogado ou representante legal (CPF, RG, certidão de nascimento ou casamento, título de eleitor e carteira de trabalho).
  • A outra possibilidade é enviar os documentos solicitados pessoalmente. No entanto, é necessário fazer um cronograma primeiro. Isso ocorre através da Central de Atendimento do INSS número 135.


O segurado deve escolher a opção "Entrega de documentos por convocação". A entrega pode ser feita:


  • Exigência expressa (urnas localizadas nas entradas dos postos previdenciários);
  • Via entrega em uma das agências do INSS que estão trabalhando com essa modalidade.


Pente-fino do INSS para benefícios com mais de dez anos

O instituto tem até 10 anos para realizar a revisão da pensão e pensão concedida. Após esse período, a análise não é mais permitida, exceto por indícios de fraude ou má-fé. Nessa situação, mesmo após dez anos, os beneficiários poderão ser convocados para apresentar alguma exigência.


Os especialistas em direito previdenciário esclarecem que, se um documento for solicitado, estes devem ser enviados. Se os documentos solicitados não puderem ser entregues, a orientação é procurar os órgãos públicos responsáveis por isso.


Caso não seja possível ter acesso ao documento, você precisará fazer uma declaração de cumprimento do REQUERIMENTO ao INSS, informando que não tem mais nada. Outra possibilidade é recorrer ao Judiciário para garantir o direito ao pagamento do benefício.


Como proteger os benefícios do pente fino?

Além de manter os dados atualizados para que a agência possa comunicar sobre a revisão do benefício, os segurados também podem seguir outras orientações. A sugestão dos especialistas em direito previdenciário é ter consigo os documentos utilizados no processo de concessão do benefício.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem