Governo fará mudanças no novo Bolsa Família quer será lançado em breve; Confira quais são as mudanças anunciadas.

Imagem: Reprodução/Google

O Governo Federal pretende fazer um novo Bolsa Família, com ajustes no valor e ampliação do número de beneficiários. Essa é a estratégia anunciada, para continuar ajudando as famílias em situação de vulnerabilidade social, após o término do auxílio emergencial previsto para o mês de julho.


Após receber pressão por uma prorrogação do auxílio emergencial em 2021, o governo disse que fará mudanças no programa existente e apresentará um Novo Bolsa Família. Dessa forma, as mudanças devem começar a vigorar a partir de agosto.


O presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido), anunciou que a média paga atualmente, ou seja, R$ 192, será ampliada para R$ 250. Com isso, após o término do auxílio emergencial, o montante ajudará aqueles que já estão recebendo ajuda financeira.


O auxílio será pago por quatro meses, e seu início foi em abril. As parcelas serão variáveis, de acordo com a composição familiar. Quem mora sozinho receberá a menor parcela, de R$ 150.


Famílias compostas por mais de um membro receberão R$ 250. Essa parcela não pode ser cumulativa, então apenas um membro da família pode receber. O maior valor será pago apenas mães pagas, chefes de famílias de pais solteiros.


Com isso, a média paga pelo programa é de R$ 250. O governo não pretende prorrogar o benefício. Portanto, a ideia é ampliar o Bolsa Família, como o presidente já havia comunicado no ano passado, após finalmente as discussões da Renda Brasil.


Além disso, para o Novo Bolsa Família, o governo pretende agregar outros benefícios ao programa ao que já é repassado aos beneficiários. Algumas possibilidades para as crianças já foram discutidas, tais como:


  • Creche: R$ 52,00;
  • Bônus anual para o melhor aluno: R$ 200,00;
  • Bolsa mensal de R$ 100,00, mais um prêmio anual para o aluno destacado na área científica e técnica: R$ 1.000,00.


Atualmente, o programa é sobre a união de diversos benefícios. Cada família pode acumular até cinco benefícios, com exceção do Benefício de Juventude. Por essa razão, o valor recebido é variável, segundo a composição familiar:


  • Benefício para crianças e adolescentes de 0 a 15 anos: R$ 41;
  • Benefício para gestantes (duração de nove meses): R$ 41;
  • Benefício para asilo (crianças entre 0 e 6 anos): R$ 41;
  • Benefício variável jovem (adolescentes entre 16 e 17 anos - cada família pode acumular até dois): R$ 48;
  • Benefício de superação da pobreza: valor variável.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem