Confira a lista de comorbidades que dão direito à vacina contra Covid-19

Imagem: Reprodução/Google

A vacinação covid-19 continua avançando no país mesmo em passos lentos, enquanto o número de mortes pela doença cresce diariamente e preocupa os cidadãos. Para garantir a saída da crise de saúde, as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários que já podem tomar a vacina devem buscar a imunização o mais rápido possível.


A doença é especialmente ameaçadora para pessoas que já têm comorbidades ou doenças crônicas. Diante desse fato, o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação liberou a vacina para esses cerca de 17.796.450 brasileiros desde o início desde o mês.


Como se vacinar

Antes de mais nada, o cidadão deve se cadastrar no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) ou comparecer a uma unidade de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). Para provar a comorbidade, será necessário apresentar exames, prescrições ou laudo médico com carimbo, assinatura e número de CRM. O documento deve descrever a condição de saúde ou a CID (Código Internacional de Doença).


Quem já é paciente regular do SUS só precisa apresentar o cartão do SUS e um documento que contenha seu número de CPF. Vale ressaltar que alguns municípios podem adotar suas próprias regras, como agendamento pela internet, por isso é importante estar atento.


grávida

Gestantes sem comorbidades são temporariamente impedidas de tomar a vacina após decisão do Ministério da Saúde. O motivo da suspensão foi que algumas gestantes tiveram reações à vacina AstraZeneca. Segundo dados do Programa Nacional de Imunizações (PNI), 22 mil gestantes foram vacinadas até o momento.


Lista de comorbidades

Abaixo está a lista das 22 comorbidades que garantem o direito à imunização prioritária contra o Covid-19:


Diabetes mellitus: qualquer cidadão com diabetes;


Pneumopatia crônica grave: pessoa com pneumopatia grave, incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibrose pulmonar, pneumoconiose, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticosteroides sistêmicos, internação prévia para ataques de asma);


Hipertensão Arterial Resistente (ARR) quando a pressão arterial (PA) permanece acima dos alvos recomendados com o uso de três ou mais medicamentos anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas recomendadas e toleradas;


Hipertensão arterial estágio 3: BP sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independentemente da presença de lesão corporal alvo (LOA) ou comorbidade;


Hipertensão arterial estágio 1 e 2 com lesão corporal alvo e/ou comorbidade: BP sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão corporal alvo e/ou comorbidade;


Insuficiência cardíaca (HF): HF com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; nos estágios B, C ou D, independentemente da classe funcional da Associação do Coração de Nova York;


Corpulmonale e Hipertensão pulmonar: Corpulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária;

Doença cardíaca hipertensiva: doença cardíaca hipertensiva (hipertrofia ou dilatação ventricular esquerda, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos alvo);


Síndromes coronárias: síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, doença isquêmica do coração, infarto pós miocárdio agudo, outros);


Doenças cardíacas valvulares: lesões valvulares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com envolvimento miocárdio (estenose aórtica ou insuficiência; estese mitral ou insuficiência; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúsplica, entre outros);


Cardiomiopatias e Pericardiopatias: Cardiomiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; doença cardíaca reumática;


Doenças da Aorta, Vasos Grandes e Fístulas Arteriovenosas: Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e outros vasos de grande porte;


Arritmias cardíacas: arritmias cardíacas com importância clínica e/ou doença cardíaca associada (fibrilação e vibração de alevel; e outros);


Doenças cardíacas congênitas em adultos: doenças cardíacas congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; 28 envolvimento miocárdio;


Próteses de válvula e dispositivos cardíacos implantados: pacientes com próteses biológicas ou mecânicas da válvula; e dispositivos cardíacos implantados (marcapassos, desfibriladores cardio, ressincronizantes, assistência circulatória de média e longa permanência);


Doença cerebrovascular: derrame isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular;


Doença renal crônica: estágio 3 ou mais doença renal crônica (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e/ou síndrome nefrótica;


Imunossupressores: indivíduos transplantados com órgão sólido ou medula óssea; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e utilizando > uma dose de prednisona ou equivalente a 10 mg/dia ou recebendo terapia de pulso com corticosteroides e/ou ciclofosfamato; outros indivíduos que utilizam imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes com câncer submetidos a quimioterapia ou radioterapia nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas;


Anemia falciforme: uma doença caracterizada por glóbulos vermelhos alterados. As células têm sua membrana alterada e se rompem mais facilmente, causando anemia


Obesidade mórbida: ocorre quando o peso de uma pessoa excede o valor de 40 no índice de massa corporal – (IMC);


Síndrome de Down: alteração genética também chamada trissomia do cromossomo 21. Ocorre quando há 47 cromossomos nas células de uma pessoa em vez de 46;


Cirrose hepática: inflamação crônica do fígado também chamada cirrose hepática Child-Pugh A, B ou C.