Urgente! Confira estes motivos que podem cancelar seu salário em 2021 do Bolsa Família.

Imagem: Reprodução/ Google


O Bolsa Família é um benefício pago às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza. Por isso, o programa visa garantir a dieta diária necessária para a sobrevivência e o desenvolvimento. Os beneficiários são obrigados a cumprir algumas ações para ter o pagamento garantido.


O Bolsa Família existe desde 2004 e foi criado pelo ex-presidente Lula (PT). No entanto, este programa foi sobre a unificação e ampliação dos benefícios existentes, criados durante a gestão de Fernando Henrique Cardoso (PMDB):


  • Bolsa Escola: criado em 2001;
  • Vale Gás: criado em 2002;
  • Bolsa Alimentação: criado em 2001.


Atualmente, o programa conta com 14,2 milhões de famílias. Todos os anos, o recadastramento é realizado para avaliar se algum pagamento indevido ou fraude está ocorrendo.


Nessas situações, muitos beneficiários veem seus auxílios financeiros cancelados e não entendem o porquê. A primeira coisa que define o direito de receber o Bolsa Família é a renda familiar mensal. Portanto, um aumento ou mudança de trabalho pode alterar o salário médio da família, fazendo com que ele não receba mais o pagamento.


Outra causa que gera muitos cancelamentos é o descumprimento dos requisitos definidos pelo programa. O Governo Federal exige que as famílias tenham cadastro e acompanhamento no Sistema Único de Saúde (SUS) e boa frequência escolar, no caso de crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos de idade.


Em caso de bloqueio ou suspensão do pagamento, o representante da família deve comparecer ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).
No Centro você pode verificar o motivo da fechadura e a possível solução.


Requisitos do Bolsa Família

O Bolsa Família tem como objetivo garantir o direito à alimentação, educação e saúde. É importante lembrar que esses direitos são defendidos pela Constituição Federal.


Dessa forma, o governo fornece recursos financeiros para garantir a alimentação e exige que as famílias monitorem a vida escolar e a saúde Crianças e adolescentes em idade escolar (entre 6 e 15 anos) devem ter pelo menos 85% de presença nas aulas;

Jovens entre 16 e 17 anos, a frequência mínima exigida é de 75%.


Saúde:


  • Crianças menores de 7 anos devem ter suas vacinas até o dia e devem comparecer ao posto de saúde para monitorar e monitorar o crescimento;
  • Gestantes devem participar de consultas de pré-natal e participar de atividades educativas oferecidas pelo Ministério da Saúde sobre aleitamento materno e alimentação saudável;
  • Acompanhamento da saúde de mulheres de 14 a 44 anos.

A cada seis meses, os requisitos de saúde são verificados. Para a Educação, a cada dois meses, é analisada a adesão à frequência escolar exigida. Em caso de descumprimento, o Bolsa Família poderá ser bloqueado ou suspenso.


Benefícios do Bolsa Família

Cada grupo contemplado recebe pelo menos R$ 89 por mês, mas pode acrescentar o que é chamado de benefício variável. por exemplo:


  • Benefício para crianças e adolescentes de 0 a 15 anos: R$ 41;
  • Benefício para gestantes (duração de nove meses): R$ 41;
  • Benefício para asilo (crianças entre 0 e 6 anos): R$ 41;
  • Benefício variável jovem (adolescentes entre 16 e 17 anos - cada família pode acumular até dois): R$ 48;
  • Benefício de superação da pobreza: valor variável.

Cada família pode acumular até cinco benefícios variáveis, com exceção do Benefício de Juventude, que só permite até dois pagamentos por família. Assim, o mínimo recebido é de R$ 89.


Há pagamentos que são superiores a R$ 300. Isso porque o Benefício de superar a pobreza tem um valor variável.