FGTS: Saque emergencial deve incluir 60 milhões de pessoas.

Imagem:Reprodução/ Google

O saque emergencial do FGTS foi criado no ano passado para ajudar os trabalhadores que tinham saldo em contas ativas e inativas do fundo. Na ocasião, a medida atendeu 60 milhões de brasileiros com até um salário mínimo.


A iniciativa foi aplicada com intuito de amenizar os impactos da crise da pandemia ocasionada pela Covid-19. Neste sentido, como o cenário atual pode ser considerado mais agressivo do que em  2020, o governo deve retornar com essa medida.


Apenas no último mês, o governo aprovou a volta do auxílio emergencial, antecipou os pagamentos do Abono Salarial e confirmou a antecipação do 13º salário para os aposentados e pensionistas do INSS em breve.


A distribuição da primeira parcela do auxílio emergencial já começou na última terça-feira (6), para os beneficiários nascidos em janeiro. Os depósitos continuam sendo feitos na conta poupança social digital do aplicativo Caixa Tem.  Porém, a antecipação do 13º salário do INSS aguarda liberação.


Frente a isto, a expectativa é que o governo anuncie a liberação do saque emergencial do FGTS 2021, nos mesmos moldes do passado. Entretanto, o valor máximo que poderá ser retirado corresponde ao atual piso salarial, R$ 1.100, diferente do ano passado, R$ 1.045.


Saque emergencial do FGTS 2020

Em 2020, o benefício do saque emergencial do FGTS permitiu que todos os trabalhados com contas ativas ou inativas retirassem a quantia disponibilizada. O calendário seguiu datas escalonadas, conforme o mês de nascimentos de cada cidadão.


A primeira data liberada para saues foi no dia 29 de junho para os nascidos no mês de janeiro. O cronograma de pagamentos foi encerrado no dia 21 de setembro em que os beneficiários nascidos em dezembro puderam sacar.


Os depósitos eram feitos no Caixa Tem, na conta poupança social digital. Através deste meio, os trabalhadores conseguiam movimentar o dinheiro segundo os serviços disponibilizados pelo aplicativo, além de fazer o saque.


Os saldos ficaram disponíveis nas contas até o dia 31 de dezembro de 2020. Após esta data, quem não conseguiu movimentar a quantia, ficou sem o beneficio, pois retornou as contas do fundo.