Condutor agora podem ‘furar’ o sinal vermelho na nova lei de trânsito. Entenda

Imagem:Google

As mudanças do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) começaram a valer a partir da última segunda-feira, 12. As medidas foram sancionadas no ano passado com o objetivo de tornar a legislação menos burocrática e mais rigorosa, de acordo com o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes Freitas.


Porém, algumas mudanças podem ter o efeito contrário, isso porque entre as novas regras está a conversão livre à direita mesmo quando o sinal está vermelho. O motorista poderá ignorar o semáforo fechado se for virar à direita em alguns cruzamentos.


Com a intenção de fazer com que o trânsito flua melhor, em lugares em que a contenção não é necessária, essa medida já é comum em alguns países como Estados Unidos e Canadá. Entretanto, aqui no Brasil pode gerar confusão no começo da lei. Entenda abaixo como funciona a nova regra.


Nova lei de virar à direita mesmo com semáforo fechado

O motorista poderá fazer a conversão livre à direita mesmo quando o sinal ainda vermelho, porém em lugares sinalizados para isso. Importante destacar que se houver pedestre na travessia da via a preferência é dele. Por esse motivo essa nova medida é perigosa em vias muito movimentadas.


Para o Auto Esporte, a mestre em transportes pela UnB, Giovana Claude alertou que “Muitas vezes as faixas de pedestres estão localizadas antes das interseções.

Será que as pessoas serão vistas a tempo pelo motorista que deseja realizar a conversão? Pontos como esses precisam ser levados em consideração ao escolher qual cruzamento terá a indicação”, disse.


O que significa que na hora de fazer a conversão, além de olhar a sinalização, o motorista precisa prestar atenção se há pedestres atravessando a pista ao lado para não causar acidentes.


Importante: a medida somente vale com sinalização adequada no local, ou seja, se o motorista fizer a conversão no sinal vermelho sem que tenha a indicação, além de arriscar uma batida ou atropelar um pedestre, estará cometendo uma infração gravíssima com cobrança de multa de R$ 293,47.