O Código de Trânsito Brasileiro mudam aplicação de multas na CNH?

Imagem:Google

Desde 12 de abril, entram em vigor as novas regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Essas mudanças causaram mudanças importantes em relação à Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Entenda alguns dos principais pontos de como as novas leis de trânsito mudam na aplicação de multas na CNH.


Uma das principais mudanças feitas na legislação de trânsito está relacionada ao aumento do limite de pontos para a suspensão da CNH.

A nova regra da CTB estabelece três limites:


  • 40 pontos para quem não cometer infração grave em 12 meses
  • 30 pontos para aqueles que cometem um crime gravíssimo em 12 meses
  • 20 pontos para aqueles que cometem dois ou mais crimes muito graves em 12 meses


Vale ressaltar que a gradação de pontos não se aplica aos motoristas profissionais. Esse grupo de motoristas sempre terá um limite de 40 pontos, independentemente das infrações cometidas.


Anteriormente, o limite de pontos nos prontuários da CNH era de 20 pontos, no período de 12 meses, independentemente da gravidade das infrações.


Novas leis de trânsito tornam possível converter automaticamente multa em advertência De acordo com a regra anterior, a conversão da multa para a advertência por escrito deve ser solicitada pelo motorista do veículo. Com a mudança, a conversão será feita automaticamente.


Para que isso aconteça, o motorista só pode ter cometido uma infração leve ou média. Além disso, o motorista pode não ter cometido qualquer outra infração nos últimos 12 meses.


Multas que não conseguem pontuar na CNH

A nova lei de trânsito prevê que nove tipos de infrações continuarão a render multas, mas não farão parte do limite de 40 pontos da carteira.

Segundo a Autoesporte, as infrações que não marcam na CNH são:


  • Não registrar o veículo no prazo de 30 dias;
  • Veículo com cor ou característica alterada;
  • Infrações que resultam na suspensão direta da CNH — autossuspensivas;
  • Dirija sem os documentos necessários;
  • Infrações cometidas por passageiros rodoviários;
  • Conduzir o veículo de carga com falta de registro do lodo e outros registros previstos no CTB;
  • Placas de veículos em desacordo com o Conselho Nacional de Trânsito (Contran);
  • Deixar de dar o registro do veículo que deu perda total;
  • Não atualize o registro do registro do veículo ou carteira de motorista.