Novo Auxílio emergencial 2021: Governo Federal adia o portal para consultas para sexta-feira (2).

Imagem:Google

Desta sexta-feira, 2, em diante, os brasileiros que aguardam pelo novo auxílio emergencial poderão conferir se serão ou não contemplados pela nova rodada. A princípio, a lista de aprovados era para ter sido divulgada nesta quinta-feira, 1. 


O comunicado sobre o atraso na publicação dos selecionados foi feito pelo ministro da Cidadania, João Roma, o qual afirmou que o sistema que permite as consultas online estará disponível a partir de amanhã.


O acesso deverá ser feito através do portal oficial do Ministério da Cidadania, bem como pelos sites da Dataprev e Caixa Econômica Federal (CEF).


“É uma gama muito grande de informações, envolve várias instituições”, ressaltou o ministro. No geral, a consulta pode ser feita pelo seguinte endereço eletrônico: https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta/#/.


Na oportunidade, a Dataprev declarou em nota que a definição da data “ocorreu em função da necessidade de alinhamento dos canais de atendimento dos três órgãos diretamente envolvidos no programa: Ministério da Cidadania, Dataprev e Caixa”. 


Ao acessar um dos canais mencionados, o cidadão precisará informar o número do CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento.


O fornecimento destas informações permitirá saber se está ou não dentre o grupo de 40,4 milhões de selecionados para o novo auxílio emergencial.


Ressaltando que aqueles que não tiverem acesso, também podem realizar a consulta pelo telefone da Caixa Econômica, através do número 111.


“Não é necessário ir presencialmente às agências da Caixa. Vamos evitar aglomerações”, disse o ministro, acrescentando que também não é necessário fazer nenhum tipo de atualização cadastral ou do aplicativo Caixa TEM.


Durante uma coletiva de imprensa realizada ontem no Palácio do Planalto informou que os pagamentos do auxílio emergencial começam a ser efetuados no dia 6 de abril.


Têm direito ao benefício os trabalhadores informais, Microempreendedores Individuais (MEI), desempregados que não estejam recebendo seguro-desemprego e cidadãos com renda familiar per capita de meio salário mínimo ou total de três salários mínimos.


O valor pago irá variar de acordo com as características de cada beneficiário. Portanto, aqueles que moram sozinhos receberão R$ 150, enquanto as famílias com mais de um componente serão contempladas por R$ 250.


Por fim, a parcela maior no valor de R$ 375 é destinada às mães solteiras provedoras do lar. A variação de valores será paga durante quatro meses, começando em abril e seguindo durante maio, junho e julho.