Governo Federal vai flexibilizar trabalho home office, adiantamento de férias e depósito do FGTS; Entenda

Imagem: Reprodução/Google


Uma nova medida provisória (MP) está em desenvolvimento pelo governo federal que flexibilizará regras formais relacionadas ao trabalho (com carteira assinada). O texto prevê mudanças nas características das práticas de home office (teletrabalho), adiamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e antecipação de férias individuais e coletivas.


As medidas atuarão como um estímulo à economia, que está passando por constantes perdas diante da pandemia Covid-19. De acordo com informações do jornal O Globo, a expectativa é que o MP seja editado ainda esta semana.


Com as mudanças, a serem anunciadas entre um pacote de ações, virão reformulações nos moldes da MP 927, que entrou em vigor em 2020. Inicialmente, o objetivo é que a ideia seja válida por quatro meses – duração de medida provisória que não é transformada em lei pelo Congresso Nacional.


Pontos da nova MP 927 em relação às leis trabalhistas

Veja abaixo as principais mudanças do mercado de trabalho em relação à publicação da medida provisória, prevista para acontecer em breve:


Pausa no pagamento do FGTS pelas empresas: a contribuição do FGTS pode ser suspensa por quatro meses pelo empregador. Além disso, o valor devido pode ser parcelado em até seis meses sem multa.

Possibilidade de alteração das regras envolvendo o Ministério do Interior (teletrabalho): permitirá ao empregador mudar o regime de trabalho, independentemente de não haver acordo coletivo (sindicatos) ou individual, e é até desnecessário registrar essa mudança no contrato de trabalho individual.

Antecipação de férias individuais e coletivas: a opção prevê a flexibilização dos prazos para o prazer, aviso prévio e pagamento de períodos de férias.


Em 2020, um dos pontos tratados no texto permitiu que o aviso prévio do empregador fosse feito no prazo de 48 horas, seja por meio eletrônico ou por escrito. O objetivo é que essa regra seja aplicada ainda este ano, especialmente em empresas que não utilizam o home office.

Além desses indicadores, outra ação que também deve ser anunciada em breve diz respeito à redução de salários e horas de trabalho, em 25% / 50% e 70%, ou mesmo a suspensão do contrato de trabalho, ambas características estabelecidas pelo Benefício de Prestação Desapersal (BEm).