Confira como vai funcionar o uso do PIX no Caixa Tem para receber o novo Auxilio Emergencial.

Imagem: Reprodução/Google


Na última quinta-feira, 22, o Banco Central (BC) atualizou o cronograma de lançamento do PIX, novo sistema de pagamentos instantâneos em vigor a partir de 2020. A medida influenciará diretamente na retirada do auxílio emergencial. 


Entre as novas ações estão o PIX Cobrança, PIX Scheduled, bem como a movimentação de auxílio emergencial com o PIX cadastrado na conta poupança social digital da Caixa Tem.


A proposta que visa realizar pagamentos em até dez segundos, garante segurança e praticidade nas transações que podem ser realizadas durante as 24 horas do dia, incluindo finais de semana e feriados.
 


Em relação ao PIX para auxílio emergencial, o BC informou que, a partir de 30 de abril, todas as parcelas do benefício poderão ser retiradas nessa modalidade. Atualmente, o beneficiário precisa esperar cerca de 30 dias para movimentar o valor, com exceção dos inscritos no Bolsa Família. 


De acordo com o Banco Central, a partir desta data, apenas as transações de pix entre contas da mesma propriedade serão bloqueadas. Portanto, entende-se que o auxílio emergencial pode ser utilizado na compra de diversos produtos, pagamento de contas ou transferências para outras pessoas.


No entanto, o PIX do auxílio emergencial não pode ser enviado para uma conta na mesma propriedade da Caixa Tem em agências bancárias separadas. Segundo o Banco Central, a justificativa para esse impedimento ocorre devido a situações de equilíbrio da dívida, nas quais a instituição financeira não poderá abar o respectivo valor. 


Ou seja, se o beneficiário deve algum valor à instituição financeira para a qual o valor será transferido, a fim de proteger o valor total do auxílio emergencial, o cidadão não poderá concluir a transferência. No entanto, também não será prejudicado pela redução de qualquer valor, possibilitando o uso normal e total do benefício.
 


Lembrando que a nova rodada de auxílio emergencial terá um investimento de R$ 44 bilhões. Esse valor será distribuído entre quatro parcelas que pagarão valores de R$ 150, R$ 250 e R$ 375 nos meses de abril, maio, junho e julho. 


A menor parcela será paga aos beneficiários que moram sozinhos. Enquanto isso, o valor médio de R$ 250 será destinado ao membro responsável pelo grupo familiar. Finalmente, a mãe solteira chefe de mãe solteira tem direito à cota máxima. 


Os beneficiários do programa de transferência de renda, o Bolsa Família, aprovado em auxílio emergencial em 2020, também terão direito ao pagamento do benefício atual.


A diferença é que esse grupo é contemplado pelos valores dos últimos dez dias úteis de cada mês, com base no dígito final do Número de Identificação Social (NIS). Além disso, desde o início o Bolsa Família foi autorizado a sacar o benefício

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem