Atenção! Novas regras de trânsito mudam leis para viagem de crianças.


Desde 12 de abril, houve mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que os motoristas devem estar atentos. Uma das coisas mudadas foi como transportar as crianças. No transporte de crianças a lei tem duas mudanças. O banco traseiro será obrigatório para crianças menores de 10 anos com menos de 1,45 metros.


Se esta lei não for seguida, a multa permanece muito grave. A idade mínima para levar crianças em uma motocicleta sobe de 7 para 10 anos.
A multa por desrespeito será muito grave, com suspensão da carteira. Anteriormente, apenas crianças menores de 10 anos eram transportadas no dispositivo de segurança.


Ainda vale a pena o uso de conforto para bebês de até 1 ano, cadeirinha para crianças entre 1 e 4 anos. E assento de elevação para crianças de 4 a 7 anos e meio de idade. 


Após essa idade, o cinto de segurança do veículo deve ser sempre usado em crianças.


Por outro lado, no transporte no banco dianteiro, a criança deve ter 10 anos, além disso ela deve ter 1,45m de altura, para que seja devidamente protegida pelo cinto de segurança.


Transporte de crianças em motocicletas

Pais e responsáveis que estão acostumados a levar crianças na garupa de motocicletas, motocicletas e ciclomotores, a regra de 10 anos passou a ser validada.


Anteriormente, crianças a partir de 7 anos de idade podem ser transportadas em motocicletas, mas essa restrição tornou-se mais rigorosa.


A nova lei de trânsito determina como infração gravíssima dirigir uma motocicleta que transporta uma criança menor de 10 anos ou que não é capaz de cuidar de sua própria segurança.


Portanto, mesmo que a criança tenha idade mínima, é necessário ter certeza de que pode se segurar adequadamente e prestar atenção às instruções e cuidados que recebe do motorista adulto.


Os motoristas que não cumprem a regra cometem infração gravíssima, com consequências ainda mais graves do que a lei do banco do carro. Esta nova lei prevê multa de R$ 293,47 e a suspensão do direito de dirigir o motociclista.


A penalidade pode impedir que o motorista de dirigir por 2 a 8 meses ou, em caso de reincidência em 12 meses, se estenda de 8 a 18 meses.