Bolsa Família poderá ser reformulado após a concessão do auxílio emergencial 2021 e ganhar reajuste em Agosto? Entenda os detalhes

Imagem:Google

A PEC 186/19, que prevê a concessão de auxílio emergencial em 2021, já foi promulgada pelo Congresso. De acordo com informações preliminares, quatro parcelas serão fornecidas até o mês de julho.

O ministro da Cidadania, João Roma, disse que o Bolsa Família será reformulado após os novos repasses de auxílio emergencial, ou seja, a partir de agosto de 2021. Isso significa que os benefícios médios do programa podem ser arredondados para estender a rede de segurança.


Bolsa Família 2021: confira TUDO sobre o benefício do governo

"Estamos, sim, estudando uma reestruturação do programa para que, já em agosto, após a última parcela do auxílio, os beneficiários do Bolsa Família possam encontrar um programa mais robusto. Isso pode, de fato, servir como um caminho intermediário na saída de ajuda para também retomar o crescimento econômico brasileiro e avançar com essa rede de segurança", explicou.


Governo pode definir novo valor para o Bolsa Família; ver as mudanças planejadas

O presidente Jair Bolsonaro, em ocasiões passadas, já havia comentado sobre a reformulação do Bolsa Família. Segundo o chefe do Executivo, o projeto será apresentado após a concessão de auxílio emergencial. "Esperamos, ao final dos quatro meses, ter uma nova proposta para o Bolsa Família. Como vai ser a partir de julho. Essa é a nossa intenção e trabalhamos nessa direção", explicou.


Vale ressaltar que o ex-ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, informou alguns detalhes do novo Bolsa Família antes de deixar a pasta. Em dezembro do ano passado, ele disse que o programa poderia atender mais de 20 milhões de unidades familiares de baixa renda.

Lorenzoni disse ainda que haverá uma garantia de microcrédito para os beneficiários, desde que sejam micro ou pequenos empreendedores.


Confira abaixo algumas mudanças que podem ser implementadas no programa:


  • Novo valor para as parcelas médias do Bolsa Família (de R$ 192 a R$ 200);
  • Inclusão de 300 mil novas unidades familiares. Atualmente, cerca de um milhão de famílias estão na lista de espera e aguardam conselhos do governo;
  • Auxílio creche mensal de R$ 52 por criança;
  • Prêmio anual de R$ 200 para alunos com as melhores performances escolares;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para alunos que se destacam nas áreas de esportes e C&T (Ciência e Tecnologia);
  • Atendimento mensal de creche de R$ 200 para mães inscritas no Programa Bolsa Família.