Depois do vazamento de dados de milhões de brasileiros, criminosos começaram a sacar o FGTS de vítimas usando suas informações.

Imagem: Reprodução/ Google

Os trabalhadores que têm direito à retirada de parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) precisam estar atentos a um novo golpe.

Após o vazamento de cerca de 223 milhões de informações de brasileiros na internet, os golpistas estão usando o CPF das vítimas para entrar na Caixa Tem e retirar o benefício.


Em janeiro, milhões de dados inseridos em sites da internet foram roubados por hackers e vendidos a criminosos. Entre eles estava o CPF de milhões de pessoas, uma das informações necessárias na retirada do FGTS.


Como funciona o golpe do FGTS

Os golpistas registram o número do Cpf da vítima no aplicativo Caixa usando um e-mail falso. Ao verificar o documento, a Caixa acredita que é o trabalhador real e deposita o dinheiro. Após o depósito, os criminosos recebem o benefício de terceiros para si mesmos.


Como o sistema Caixa Tem não realiza verificação de identidade após a conclusão do cadastro, com apenas algumas informações sobre a pessoa que o golpista pode ter sucesso em seu esquema.


Como evitar o golpe

Uma medida simples e eficaz para evitar esse tipo de golpe é o cadastro no aplicativo do FGTS o mais rápido possível. Além disso, a Caixa também recomenda a utilização apenas de seus canais oficiais, como internet banking, aplicativo e agências físicas.


Outra dica é nunca compartilhar seus dados com ninguém, especialmente através de mensagens na internet ou inserção em sites que não são oficiais.


Veja como se cadastrar no aplicativo Meu FGTS, disponível para Android e iOS:


  • Abra o aplicativo;
  • Registre uma conta bancária; E
  • Verifique quaisquer declarações no extrato da sua conta.
  • Ao registrar uma conta de sua propriedade, você impede que o criminoso deneia os dados de outra conta bancária e aplicasse o golpe do FGTS.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem