Mães e Pai chefes de família têm chance de receber o novo Auxílio Emergencial com valor maior; Confira a proposta do Governo

Imagem:Google

Como foi o caso no ano passado, espera-se que as mulheres chefes de família recebam um número de auxílio emergencial acima da média na prorrogação deste ano.

Fontes ligadas ao governo federal disseram ao jornal O Globo que o valor para esse grupo seria de R$ 375, enquanto outros beneficiários receberiam parcelas de R$ 250.


Para todos os beneficiários, o auxílio deverá ser oferecido em março, abril, maio e junho. Todos aqueles que não fazem parte do grupo de mulheres chefes de família devem receber parcelas de R$ 250 – exceto aqueles que moram sozinhos, que receberão R$ 150.


Informações mais concretas estão em consonância com a proximidade da aprovação do auxílio. Na quarta-feira (3), a votação a favor da PEC emergencial apontou um cenário positivo para a prorrogação do benefício. Um segundo turno de votação acontecerá na quinta-feira (4).


Além da mudança de valores, os requisitos de aptidão dos beneficiários também devem mudar. Ambas as informações devem ser oficialmente divulgadas somente após a aprovação integral da PEC emergencial.


De qualquer forma, já se sabe que o governo federal cruzou 11 bases de dados para identificar os beneficiários deste ano.


Elas devem ficar de fora: pessoas que morreram neste ou no ano passado, que obtiveram vínculo empregatício nos últimos meses e que recebem algum salário da iniciativa pública, como aposentadoria e pensão.


Ainda de acordo com o portal mencionado anteriormente, o governo espera atender um universo de 46 milhões de pessoas com a extensão do auxílio emergencial. Para isso, devem ser investidos cerca de R$ 35,5 bilhões, devidamente autorizados pela PEC Emergencial.


Fontes ligadas ao governo teriam revelado que a previsão de depósito da primeira parcela é para 18 de março especificamente para os beneficiários do Bolsa Família. O resto do grupo receberia apenas no último dia do mesmo mês.


Nesta nova etapa, devem ser mantidos os mesmos critérios de renda para acesso ao auxílio, de meio salário mínimo por pessoa familiar (R$ 550) e até três salários mínimos (R$ 3,3 mil).


De qualquer forma, é imprescindido que os beneficiários tenham os dados atualizados no Cadastro Único (CadÚnico) para não serem vetados do recebimento do auxílio.